sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DICAS DE UTILIDADE PÚBLICA- Veneno Ecológico para Matar Ratos

Maceió (AL), 30 de setembrode 2011.



PROTEJA SUA FAMILIA E OUTRAS PESSOAS NATURALMENTE, ELIMINE OS ROEDORES SEM PREJUDICAR A NATUREZA.

PARA QUEM MORA EM CASA OU APARTAMENTO.

VENENO ECOLÓGICO PARA MATAR RATOS - UTILIDADE PÚBLICA

NOSSOS CIENTISTAS SÃO FERAS MESMO! VIVENDO E APRENDENDO.. MÉTODO USADO POR CRIADORES DE PÁSSAROS.

COMBATENDO OS RATOS:

MUDEI-ME HÁ POUCOS MESES PARA O PRIMEIRO ANDAR DE UM PRÉDIO E, COMO TODO PAULISTANO, ESTOU SENDO VÍTIMA DESSES INDESEJÁVEIS HÓSPEDES. PERGUNTA DAQUI, PERGUNTA DALI E UMA AMIGA ME DISSERAM QUE FEIJÃO TRITURADO MATAVA RATOS, MAS NÃO DETALHOU. FUI PESQUISAR E DESCOBRI ESSE ESTUDO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (QUE É O LINK DESTE POST).

COMO FAZER:

PEGUE UMA XÍCARA DE QUALQUER FEIJÃO CRU (SEM LAVAR MESMO), COLOQUE NO MULTIPROCESSADOR, OU LIQUIDIFICADOR (SEM ÁGUA) E TRITURE ATÉ VIRAR UMA FAROFINHA BEM FININHA, MAS SEM VIRAR TOTALMENTE PÓ.

ONDE COLOCAR:

COLOQUE EM MONTINHOS (UMA COLHER DE CHÁ) NOS CANTOS DO CHÃO, PERTO DAS PORTAS E JANELAS (SIM ELES ESCALAM AS JANELAS), ATRÁS DA GELADEIRA, ATRÁS DO FOGÃO, ATRÁS DE TUUUUUUUUUDO !

O QUE ACONTECE:

O RATO COME ESSA FAROFINHA, DILICIA... NHAMI NHAMI... MAS ELE NÃO TEM COMO DIGERIR O FEIJÃO CRU, POR FALTA DE SUBSTÂNCIAS QUE DIGEREM FEIJÃO CRU, CAUSANDO ASSIM UM ENVENENAMENTO NATURAL POR FERMENTAÇÃO.
RESUMINDO: A RATAIADA MORRE EM ATÉ 3 DIAS.

DETALHE IMPORTANTE:

AO CONTRÁRIO DOS TRADICIONAIS VENENOS (RACUMIM, POR EXEMPLO) O RATO MORRE E NÃO CONTAMINA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO E, POR SUA VEZ, MORREM POR TEREM COMIDO O RATO ENVENENADO.. E A QUANTIDADE DE FEIJÃO QUE ELE INGERIU E MORREU É INSUFICIENTE PARA MATAR UM CÃO OU GATO, MESMO PORQUE ESTES GOSTAM DE MATAR PRA COMER, MAS MORTO ELES NÃO COMEM.
SE TIVER CRIANÇAS PEQUENAS (BEBÊS) AINDA EM PERÍODO DE ENGATINHAMENTO, QUE COLOCAM TUDO NA BOCA, NÃO FAZ MAL ALGUM, POIS O FEIJÃO PARA O SER HUMANO, MESMO CRU, É DIGERIDO.

NÃO TEM CONTRA-INDICAÇÃO

Recebido por e-mail dos conterrâneos José Freitas e Manoel Emilson.