sábado, 27 de novembro de 2010

AS FONTES DE MATA GRANDE- João Felix

A FONTE DO JOÃO FELIX .
Sexta feira , dia 26.11.2010 por volta das 10 horas da manhã subi a rua do João Felix e ao chegar ao final, lembrei da famosa fonte, com sua água azul ,busquei a máquina fotográfica e segui até lá. Tudo está diferente, hoje existem duas caixas para armazenar água, sendo uma pública e outra privada. Entre as duas, uma fenda entre as pedras, forma uma piscina natural onde algumas lavadeiras continuam no ofício e os meninos se deleitam tomando banho naquelas águas cristalinas.
A fonte continua com o mesmo potencial, abastecendo o riacho que se forma e passa entre o Posto e o Ginásio . Este ano tivemos um bom inverno e ainda hoje corre bastante água.
Um fato interessante é que no final da rua foi construída uma grande caixa d’água pela CASAL, esta, funciona como uma estação elevatória para o abastecimento da cidade e também de Canapi. Vale registrar que, não obstante o grande volume de água, existem casas em Mata Grande que passam entre 15/20 dias sem ver o precioso líquido jorrar em suas torneiras. Não se sabe quando a CASAL vai tomar providências para minimizar o sofrimento da população, fico a imaginar quando chegar o verão.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

HINO DE MATA GRANDE

HINO DE MATA GRANDE Letra e música? Fonte: Wikisource Mata Grande terra grandiosa Oásis do nosso Sertão. Ser teu filho é a coisa mais formosa Parte Integrante do seu torrão Nossas terras, nossas serras, nossas águas, Enobrecem qualquer cidadão, Em Alagoas serás sempre bem vistosa Berço honrado de produção. Sua história é tão bela e gloriosa Uma arvore lhe deu certidão. Entre teus filhos , tem sementes tão viçosas De progresso, glória e educação Mata Grande serás, sempre poderosa Símbolo eterno de amor e gratidão. O que nos honra oh. Mãe terra tão formosa E ser teu filho e ter outro irmão.

domingo, 21 de novembro de 2010

A RABECA

RABECA Barra de Santo Antonio- AL., 21 de novembro de 2010. Hoje é dia de praia, um domingo de sol maravilhoso com o verde dos coqueirais e o mar azul turquesa que causa imensa alegria a qualquer vivente que os presencie, todavia, após a caminhada matinal pela Ilha da Crôa, ao assistir a reportagem de Nelson da Rabeca no Globo Rural as lágrimas escaparam dos meus olhos pois me veio a mente outro ser humano, bastante parecido com seu Nelson, tanto em sua simplicidade, humildade no falar, no entanto ,um tocador anônimo, que nunca foi reconhecido em nossa cidade, falo de seu Manoel Cassimiro, este, contudo, não fabricava rabecas.
Residia no Mandacaru e lembrei que, em alguns carnavais ele acompanhava o bloco do URSO PRETO, do saudoso Joaquim de Belo e do BACALHAU de João Cajú, saindo daquele bairro e percorrendo toda a cidade tocando marchinhas e frevos em sua rabeca .
Eventualmente, quando o visitava, pedia para que ele tocasse algumas músicas e ele executava com perfeição músicas do inesquecível Rei do Baião (Luiz Gonzaga) e de outros artistas do cancioneiro popular, principalmente dos mais antigos.
Lembro também, que certa noite de São João em plena quinta feira, Seu Manoel Cassimiro e o maior seresteiro que Mata Grande já teve, “Temista” (Temístócles Guimarães) foram comemorar na Serra do Sabonete e somente retornaram ao alvorecer do sábado. Temista, cantando, com sua inconfundível voz e seu Mané Cassimiro na rabeca, até hoje não esqueci alguns versos da música cantada que visava amortecer a raiva da esposa pelas noites passadas fora , cujos versos eram mais ou menos assim:
MEU DEUS QUE HORAS SÃO ESSAS, AMOR NÃO OUÇO O GALO CANTAR SÓ PEÇO A DEUS QUE ME BOTE, AMOR AONDE ANA ROSA ESTÁ AS ONDAS DO MAR SAGRADO, AMOR NÃO QUEIRAM ME CONSUMIR SÓ AGRADEÇO A DEUS, AMOR FICAR JUNTINHO A TÍ. As estrofes seguintes não consegui lembrar. Segundo Icléa, a rabeca de seu Manoel Cassimiro foi doada a uma de suas netas que se a memória não falha , residia no Distrito de Santa Cruz do Deserto, município de Mata Grande - AL.

sábado, 20 de novembro de 2010

O BEM-TE-VI E OUTROS PASSARINHOS

O BEM-TE-VI E OUTROS PASSARINHOS --- Walter Medeiros – waltermedeiros@supercabo.com.br No silêncio da manhã um passarinho canta pousado num galho alto de uma grande árvore com a qual cruzo frequentemente. Parece um pássaro que eu ouvia há mais de quarenta anos, nas minhas manhãs de infância serrana. Não o vejo nem me detenho para procurá-lo e fico esperando o som da cigarra, que não vem, pois as minhas cigarras ficaram naquelas árvores frondosas do sertão de Alagoas. Nem me passa pelo pensamento nenhuma vontade de aprisioná-lo ou atingi-lo. Naquele tempo eu tinha uma baladeira e cheguei certa vez orgulhoso da minha pontaria, por ter acertado um passarinho num galho distante, como se aquele tiro não fosse idêntico ao controle de um acerto de uma chimbra (é assim que se chama biloca naquele lugar onde morei). E lembro do meu irmão, Wellington, esboçando sério remorso por ter acertado um passado que não morreu, mas ficou sem condições de voar imediatamente. Vez por outra, no almoço do domingo, meu sogro lembra do seu tempo de caçador, quando pastorava os pássaros à beira de uma lagoa. Eram dezenas e ele se aproximava com a espingarda de soca. Fazia um barulho para espantá-los e quando levantavam vôo eram atingidos em grande quantidade, caindo para alimentar a diversão de jovens e adultos, quando o IBAMA e o IDEMA ainda nem existiam. Quando conversava com meu pai, além das histórias que me contava como ex-combatente da Segunda Guerra, ele gostava de lembrar dos seus tempos de Jucurutu, onde nasceu, e na sua escola primária ganhou um prêmio por ter recitado de forma brilhante o conhecido poema ”Pássaro Cativo” , de Olavo Bilac: “... Por que me prendes? Solta-me covarde! Deus me deu por gaiola a imensidade: Não me roubes a minha liberdade ... Quero voar! voar! ...” Vem também a lembrança daquela história engraçada sobre o mentiroso que apareceu correndo na bodega que freqüentava e perguntaram o que estava procurando: “-estou atrás do meu canário, que fugiu com gaiola e tudo.”. Meus cunhados gostam muito de pássaros e conhecem muitos deles. Mas eu só consigo distinguir as lavadeiras, as pombinhas e os pardais que pousam no meu quintal diariamente. Bem como alguns outros pássaros, como os canários, anuns e outros que simbolizam partidos políticos. E as corujas, paixão de nossa amiga manauara Conceição. Para se ter uma idéia de como os passarinhos estão em todos os nossos momentos, quando Waltinho estudava no jardim de infância seu irmão Bruno ia buscá-lo e uma “Tia” (professora auxiliar) se apaixonou por ele. Mandou um bilhete pelo menino, para Bruno, com uma quadrinha: “Eu queria ser um passarinho / Um passarinho eu queria ser / Prá pousar em tua janela / Quando o dia amanhecer”. Tomando conhecimento do fato, uma pessoa brincalhona (não fui eu, foi Mônica) resolveu fazer uma resposta e enviar pelo mesmo portador: “Queria ser um caçador / Um caçador queria ser / Prá matar o passarinho / Quando ele aparecer”. Minha cunhada, Fátima, entretanto, vai me perdoar, mas tenho de lembrar que não tem maiores conhecimentos na área, literalmente. Na área da minha casa, certo domingo, ouvíamos um som que vinha da frondosa árvore que meu vizinho de frente, Murilo(Uai) trouxe de Caicó há mais de vinte anos: “híiin! Híin! Híin!”. Ela indagou a seu Sebastião, meu sogro, que pássaro seria aquele. Do alto dos seus noventa anos (ele vai completar 94 dia 10 de outubro de 2010), ele disse: “é um Bem-te-vi”. Ela rebateu: - “não, papai, lá em casa tem desses pássaros e não é Bem-te-vi”. Pacientemente ele reafirmou: “é, Fátima, um Bem-te-vi”. Quanto ela se preparava para argumentar mais, o pássaro tirou a dúvida, com seu canto forte e tão belo: “BEM-TE-VI!!!”. ________________________________________________________ OBS.: O autor viveu sua infância na Rua Nova em Mata Grande de onde guarda eternas e boas recordações e mantém um tópico no www.rnsites.com.br/matagrande Germano.

A PRIMAVERA EM MATA GRANDE

AOS VINTE E TRÊS DE SETEMBRO TEM INICIO A PRIMAVERA ESSA É A MELHOR ESTAÇÃO QUE DEUS DEIXOU PARA TERRA TODAS AS ARVORES FLORIDAS NA CAATINGA OU NA SERRA OS PASSARINHOS CANTANDO POIS SABEM QUE OS FRUTOS VEM AS MATAS TODAS FLORIDAS E PERFUMADAS TAMBÉM É BOM ANDAR PELO BOSQUE O AR É CHEIROSO E FAZ BEM SÃO FLORES DE TODA ESPÉCIES DE TODAS AS CORES E FORMATO TEM PLANTAS CRIADAS EM CASA OUTRAS QUE NASCEM NO MATO QUE BOM QUE TODAS SÃO LINDAS E ENRIQUECEM NOSSO OLFATO NOS LINDOS PÉS DE MULUNGUS FAZEM A FESTA OS BEIJA-FLORES CAJAZEIRA UMBUZEIRO E YPÊ ROXO CADA QUAL EXALANDO O SEU ODOR E QUEM GANHA COM ISSO SOMOS NOS COM A DÁDIVA DE JESUS O CRIADOR AS PITOMBEIRAS E MANGUEIRAS MANDAM SUAS FLORES TAMBÉM MANDACARU, MARMELO E UMBU É O AROMA QUE O SERRADO TEM A BONINA E A ESPIRRADEIRA TEM UM PERFUME QUE FAZ BEM TEM AS PLANTAS TRADICIONAIS AS ROSAS, CRAVOS E BROMÉLIAS ONZE HORAS E FLOR DE MARACUJÁ MARGARIDA, ORQUÍDEAS E AZALÉIAS E POR FALAR DE TANTAS FLORES ME FAZ LEMBRAR MINHA VELHA A BELA ESTAÇÃO DAS FLORES ENCHEM DE PERFUME AS SERRAS QUEM QUISER QUE APROVEITE ENQUANTO NÃO VEM A GUERRA QUEM NOS MANDOU TUDO ISSO FOI O GRANDE DONO DA TERRA FALEI DA ESTAÇÃO DAS FLORES NA PRÓXIMA FALO DO VERÃO SÃO TODAS PROJETOS DE DEUS FEITOS PRA QUEM TEM EMOÇÃO SEJA OUTONO, VERÃO E INVERNO É BOM PARA O NOSSO CORAÇÃO Zezinho de Laura ( filoca ) `` O POETA GENÉRICO´

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

ALEGRAI-VOS

Fotos: Vejam que o número está aumentando.
Este ano tivemos a participação de algumas mulheres.
Maceió (Al), 15 de novembro de 2010.
Esta semana Icléa (minha esposa) me entregou uma folha de cânticos da Igreja, onde o ALEGRAI-VOS, me trouxe gratas recordações das Semanas Santas vivenciadas em Mata Grande, onde na Quinta Feira , o Padre com os fiéis, às cinco horas da manhã, dirigem-se ao Monte Santo na tradicional "Via Sacra" parando nas cruzes postas ao longo da estradinha que sobe até o magestoso Cruzeiro.
Ultimamente, eu e um grupo de homens, muitos pertencentes ao Terço dos Homens da nossa Paróquia, nos dirigimos para lá, onde rezamos o Terço, com a participação de todos. É salutar sentir como oram com amor, muita alegria e felicidade.Vejam as fotos.
No Sábado de Aleluia,tradicionalmente, é realizada a" Procissão da Ressurreição" e o hino mais cantado é exatamente o "Alegrai-vos ó Maria" onde as mulheres e alguns homens, em plena madrugada, soltam a voz e cantam com muito entusiasmo, abrilhantando o evento. Ninguém quer perder e àqueles que dormem, acordam, se arrepiam, tamanha a emoção e se infiltram no meio da multidão.
ALEGRAI-VOS Ó MARIA Alegrai-vos ó Maria Cessai nossa amarga dor Glorioso, ressuscita, Jesus Nosso Redentor (bis) 1 – Fugiram vendo ferido As ovelhas seu pastor Vejam, pois que ressuscita Jesus Nosso Redentor (bis) 2 – As ovelhas fugitivas Cheguem, pois ao seu amor Voltem, pois que ressuscita Jesus Nosso Redentor (bis) 3 – Aproveitaram-se do sangue Que por todos derramou Esse Divino Cordeiro Jesus Nosso Redentor (bis) 4 – Quanto por nós padeceu Em prova do seu amor Pra nos levar para o Céu Jesus nosso Redentor (bis) 5 – De sua amável ternura Deixando grande penhor Ficando no Sacramento Jesus nosso Redentor. (bis)

domingo, 14 de novembro de 2010

AS SERRAS DE MATA GRANDE -Serra do Urubu

SERRA DO URUBU
FONTE DO URUBU
Na foto das bananeiras, fica a nascente da fonte.
Na foto do cruzeiro, está a Igreja do Urubu onde todos os anos tem a festa de Santa Luzia.
Na foto do canto, vê-se a caixa d'água
Na foto da Escola vê-se descendentes dos desbravadores.
Maceió (Al), 14 de novembro de 2010.
A serra do Urubu fica logo após a Serra do Sabonete, nela fica localizada também, a maior das fontes existentes no município a fonte do Urubu, onde atualmente , muitos chamam de Xingozinho, tal é o volume de água que brota das entranhas da terra.
No final da estrada, existe uma igrejinha (em reforma), a Escola Municipal José Bernardino Correia (em homenagem ao grande estatístico do IBGE, de saudosa memória) e um aglomerado de casas onde residem uma grande parte de descendentes de pessoas que vieram no século XVII. Da serra vislubra-se o Serrote do Carié, Serra das Caiçaras em Maravilha, Serra do Poço e toda a planície que compõem os municípios de Inhapi,Canapi, Água Branca, Delmiro Gouveia, Olho d’Água do Casado, Piranhas, Maravilha, Ouro Branco e adjacências.
A serra é propícia para o cultivo de frutas, verduras e principalmente da cana de açúcar, razão porque ainda existem em funcionamento a maioria dos engenhos que restam no município.
Nos últimos anos a plantação de capim tem aumentado consideravelmente e o criatório de gado bovino tem predominado. A fonte doUrubu tem potencial para abastecer duas ou três cidades de pequeno porte. Há alguns anos o Sr. José Mariano, ex-prefeito de Canapi, mandou construir uma grande caixa d’Água que pela gravidade é abastecida com água da fonte e de lá segue através de tubulações até o município de Canapi, onde supre do precioso líquido os seus habitantes. São idéias simples que resolvem. As serras tem enormes mananciais que devidamente aproveitados dariam para minimizar a sede de toda a população que vivem nos biomas das nossas caatingas, todavia, falta a vontade dos nossos gestores.

sábado, 13 de novembro de 2010

AS FONTES DE MATA GRANDE -A fonte do Cumbe

FONTE DO CUMBE. (Foto clicada do Monte Santo) Maceió (Al), 13 de novembro de 2010.
A fonte do Cumbe fica localizada entre a Serra da Onça , Monte Santo e a Serra do Angico.
CUMBE foi a primeira denominação dada àquelas terras, chamada posteriormente de Mata de Santa Cruz, Paulo Afonso e depois Mata Grande, pelo fato da existência de uma mata verdejante. Seus primeiros desbravadores vieram da Casa da Torre, de Garcia d’Ávila.(fonte: Enciclopédia dos Municípios de Alagoas).
A minação de águas perenes é abundante, antigamente, jorrava entre pedras, após a morte de Gessy Malta, por afogamento, nos idos de 1959 o então prefeito Gentil Malta à custa de muita labuta fez um grande melhoramento, levantando paredes com pedras, dotando-a de cobertura e tornando as suas águas mais puras e cristalinas.
Lembro que na seca de 1970 ela abastecia de oito a dez caminhões pipas diariamente para amenizar a seca dos nossos irmãos que residem nas caatingas, afora, carros de pequeno porte, carros de bois, lavadeiras e animais que se abasteciam ou utilizavam as águas da fonte.
Posteriormente o Prefeito Hélio Brandão construiu uma grande caixa d’água ao lado, que através de bombeamento é cheia durante à noite e pelo dia, naturalmente, quando abrem a torneira, pelos canos plásticos colocados ao longo da estrada que passa contornando as serras, abastece tanques nas comunidades da Placa de Guilé, Simiana e Capim Açú .
Considero uma das grandes obras em benefício dos que lá residem. Naqueles dias também construiu um poço tubular que produz dez mil litros de água por hora, todavia, pela proximidade, prejudicou o manancial da fonte, daí, ter sido devidamente isolado. Na foto acima, vê-se a caixa citada,o poço ao meio, a estrada que segue para a Placa de Guilé e também, a aque sobe para o Angico, o curral da fazenda de Zé Maria e também, o calçamento na frente da fonte, construído pelo prefeito Fernando Lou. Quando estive Secretário de Agricultura do Município o serviço foi reativado, conforme as fotos acima e vale ressaltar que os serviços podem se estender a outras localidades, necessita tão somente de vontade dos administradores.
A fonte do Cumbe foi palco de inúmeras histórias sobre os nossos conterrâneos, contar algumas necessita de muito tempo e espaço, uma vez que, anedotas, brigas entre vizinhos, desavenças entre os que para lá se dirigiam afim de apanhar água, prisões de bêbados por tomarem banho dentro da fonte, criação de um cabaré, construção de banheiros públicos e outros casos, dariam para a publicação de um livro.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

AS SERRAS DE MATA GRANDE - Serra do Sobrado

Maceió-Al., 12 de novembro de 2010.
Duas fotos da Serra do Sobrado, clicadas do alto da Boa Sombra. Vislumbra-se abaixo,terras do Sítio Gato, o Serrote da Espanha, Rio Grande e ao fundo a Serra do Sobrado.
Nela existia um velho sobrado daí a origem do nome. O acesso é muito difícil uma vez que, segue-se até o sítio Lama, entra-se à esquerda e após muitas voltas chega-se lá. A primeira vez que a conheci foi quando da vinda do conterrâneo Otacílio dado como desaparecido, que estava em Upanema=RN. Naquele dia enviei uns detalhes da ida para o amigo jornalista Walter Medeiros e ele assim publicou no site www.rnsites.com.br/Mata Grande no tópico que mantém sobre a nossa cidade. SERRA DO SOBRADO Mensagem de Germano Alves, de Mata Grande, para Walter Medeiros 29.10.2006 Seu Otacílio de volta ao convívio da sua família, em Mata Grande, 15 anos depois.
Ontem resolvi subir a Serra do Sobrado, para visitar e conhecer o Senhor Otacílio. Sempre tive vontade de ir lá, porém o dia a dia sempre nos tira um pouquinho da disposição. A estrada não é lá das melhores, porque em vários lugares a primeira marcha é necessária.
Logo no início encontrei uma coisa que nunca mais tinha visto. Várias pessoas, carregando uma Santa e uma banda de pífanos -zabumbeiros- a pedirem ajuda nas casas. Quando cheguei à casa do Seu Antonio, irmão de Otacílio, fui bem recebido, e passei a conversar e observar os detalhes. O nome correto é OTACÍLIO MANOEL DE MOURA, nascido em 13.11.1931. Tem, portanto, 75 anos. Os seus familiares são Antonio Manoel de Moura - irmão -, José Cícero de Oliveira , vulgo Cícero Professor ou Zé Raimundo, e outros primos. Participou da recepção o funcionário Elifran Vieira Lisboa, vizinho de propriedade e amigo da família. O LOCAL - A casa é muito boa para os padrões locais, grande e bem situada, tem alpendre e é muito bem freqüentada. A serra é aprazível, tem várias fruteiras, água de minação em vários lugares, energia em todas as residências, várias com antenas parabólicas, campo de futebol, grupo escolar e um convívio social invejável para as demais áreas rurais.
Vale registrar que há mais de uma década não se registra nenhum homicídio. O professor Cícero é presidente da Associação Comunitária da Serra do Sobrado, com vinte e dois sócios ativos, inclusive ,o Elifran é o secretário. Da serra, onde ficará o Sr. Otacílio, avista-se no longínquo azul do horizonte, de um lado, terras do estado de Pernambuco - Tacaratú, Caraibeiras e Inajá - e do outro, terras de Sergipe e Bahia, além de vários municípios alagoanos, como Delmiro Gouveia, Água Branca, Maravilha , Ouro Branco, Canapi, Inhapi, Olho d’água do Casado, Piranhas e Pariconha.
O Otacílio está bastante satisfeito no meio dos familiares e amigos. Todos lhe prestam homenagens, tomam a bênção e conversam. Ele as vezes fica pensativo, nota-se que ainda está em estado de graça e surpreso.Será submetido a tratamento psicológico no CAPS, órgão mantido pela prefeitura. Os amigos fizeram uma grande recepção e estão programando uma pescaria para que ele reviva os seus bons momentos, já que é um grande apreciador do esporte.
Já fui para lá depois de almoçar na casa de Valderez, mesmo assim, tive que participar de um almoço à base de fava e galinha de capoeira (caipira), onde tomei um excelente suco de limão, pois não quis entrar na rodada de pinga. Tirei algumas fotos. Amanha, quando estiver em Maceió, lhe enviarei.
Cícero mandou um convite: quando o Walter vier a Alagoas, quero que ele venha passar um dia conosco, faremos para ele algo bem organizado. A casa de Antônio, irmão de Seu Otacílio
A Serra do Sobrado OBS.: Copiei do site, infelizmente as fotos não consegui copiar, queira ver no site de Natal.
ATT. Walter, o Cícero sempre pergunta por você, quando quizer vir a galinha está gordinha.
Como disse a serra é magnífica, suas terras são férteis com bastante água nas partes baixas que chamamos de brejos.As laranjas mais doces da região eram de lá, no passado, alguns feirantes para venderem os seus produtos anunciavam que era da Serra do Sobrado, mesmo sem saberem. A farinha de primeira qualidade, as frutas com sabor inigualáveis, enfim, toda a produção é saborosa e bem apreciada.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

AS SERRAS DE MATA GRANDE-Serra da Lagoa

SERRA DA LAGOA DE SANTA CRUZ
A foto que estou foi clicada após o Grupo Escolar, do outro lado da serra. Neste dia fui com os repórteres da globo que faziam uma reportagem sobre o circuito do frio no nordeste. As terras em azul são pernambucanas.
A outra foto cliquei da cidade, vejam que a neblina esconde parte da serra.
A última, cliquei do Sítio Almeida, das imediações da serra do Agreste.
A Serra da Lagoa de Santa Cruz, fica localizada próximo à cidade é uma das que a rodeiam a exemplo da Serra da Onça, Maxi, Agreste e Boa Sombra. Saindo da cidade segue-se em direção ao Sítio Almeida e logo adiante começa a ladeira, com aproximadamente dois quilômetros de subida. O acesso, desde a ponte Balbino Alves Bezerra (em homenagem ao meu pai que desde 1937 foi proprietário de terras no Sítio Almeida) até o topo da serra , já deveria estar todo calçado, no entanto, os gestores somente o fazem em pequenos trechos. Chegando-se ao cume vislumbra-se uma enorme lagoa, daí a origem do nome da serra.Existe uma capela que era muito bem zelada pelo Senhor Enoch Vieira Sandes , um Grupo Escolar muitas residências e pequenos sitiantes que , criam bovinos, cultivam mandioca, feijão, verduras , frutas diversas etc. Vale registrar que na parte baixa da serra (Almeida e Saco do Almeida) existiam de oito a dez engenhos de rapadura. Hoje somente dois funcionam e assim mesmo, precariamente. Nela residem membros de famílias tradicionais, líderes negros e foi onde residiu também o meu grande amigo Irineu Baixinho, de saudosa memória, fundador e primeiro presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Mata Grande. Nela também fica encravado o ponto culminante do Estado de Alagoas com seus 844 metros de altitude, no local tem um marco erguido com pedras brutas colhidas na região. Por causa da altitude a temperatura nos meses de nosso inverno (junho/agosto) atinge níveis abaixo dos 10º em determinados horários da madrugada. Vale registrar que na parte baixa (Sítio Almeida) já registramos temperaturas de 13 graus. A neblina não raras vezes atravessa o dia inteiro impedindo a visão da serra. Se algum dia um empresário de visão, construir uma pousada, ou um hotel fazenda com pesque e pague, não tenham a menor dúvida, a nossa cidade entrará no roteiro turístico estadual, haja vista a tradição de Mata Grande, seus casarios ainda existentes e a história que lhe deu origem no século XVII.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

VOCÊ LEMBRA???

I - VOCÊ AINDA SE LEMBRA? Dos Sete Pecados Capitais: Gula, Avareza, Soberba, Luxúria, Preguiça, Ira e Inveja. Dos Dez Mandamentos: 1º - Amar a Deus sobre todas as coisas; 2º - Não tomar o Seu Santo Nome em vão; 3º - Guardar domingos e dias de festa; 4º - Honrar pai e mãe; 5º - Não matar; 6º - Não pecar contra a castidade; 7º - Não furtar; 8º - Não levantar falso testemunho; 9º - Não desejar a mulher do próximo e 10º - Não cobiçar as coisas alheias. Dos Três Reis Magos: 1 - O árabe Baltazar: Trazia incenso, significando a Divindade do Menino Jesus. 2 - O indiano Belchior: Trazia ouro, significando a Sua Realeza. 3 - O etíope Gaspar: Trazia mirra, significando a Sua Humanidade. Dos Doze Apóstolos: 1 - Simão Pedro; 2 - Tiago (o maior); 3 - João; 4 - Filipe; 5 - Bartolomeu; 6 - Mateus; 7 - Tiago (o menor); 8 - Simão; 9 - Judas Tadeu; 10 - Judas Iscariotes; 11 - André; e 12 – Tomé - Após a traição de Judas Iscariotes, os outros onze apóstolos elegeram Matias para ocupar o seu lugar. Dos Doze Profetas do Antigo Testamento: 1 - Isaías; 2 - Jeremias; 3 - Jonas; 4 - Naum; 5 - Baruque; 6 - Ezequiel; 7 - Daniel; 8 - Oséias! ; 9 - Joel; 10 - Abdias; 11 - Habacuque; e 12 - Amós.
Dos Sete Sábios da Grécia Antiga: 1 - Sólon;
2 - Pítaco;
3 - Quílon;
4 - Tales de Mileto;
5 - Cleóbulo;
6 - Bias;
7 - Períandro.
Das Musas da Mitologia Grega:
(a quem se atribuía a inspiração das ciências e das artes):
1 - Urânia (astronomia);
2 - Tália (comédia);
3 - Calíope (eloqüência e epopéia)
4 - Polímnia (retórica);
5 - Euterpe (música e poesia lírica);
6 - Clio (história);
7 - Érato (poesia de amor);
8 - Terpsícore (dança); e
9 - Melpômene (tragédia)
Das Sete Cores do Arco-íris: Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Anil e Violeta. II - O QUE SEMPRE NOS PERGUNTAM: As Sete Maravilhas do Mundo: 1 - A Pirâmide de Queops;
2 - Os Jardins Suspensos da Babilônia;
3 - O Mausoléu de Helicarnasso (também conhecido como O Túmulo de Mausolo em Éfeso);
4 - A Estátua de Zeus, de Fídias;
5 - O Templo de Artemisa (ou Diana);
6 - O Colosso de Rodes;
7 - O Farol de Alexandria.
III - VOCÊ SABIA...?!
1 - Durante a Guerra de Sucessão, quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem nenhuma baixa, escreviam numa placa imensa:"O Killed" (zero mortos). Daí surgiu a expressão O.K. Para indicar que tudo está bem.
2 - Nos conventos, durante a leitura das Escrituras Sagradas, ao se referir a São José, diziam sempre "Pater Putativus" (ou seja "Pai Adotivo") abreviando em "P.P ".
Assim surgiu a idéia, nos países de colonização espanhola, de chamar os Josés de " Pépe".
3 - Cada rei no baralho representa um grande Rei/Imperador da história: Espadas: Rei David (Israel);
Paus: Alexandre Magno (Grécia/Macedônia);
Copas: Carlos Magno (França);
Ouros: Júlio César (Roma).
4 - No Novo Testamento, no livro de São Mateus, está escrito "é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no Reino dos Céus"... O problema é que São Jerônimo, o tradutor do texto, interpretou a palavra " kamelos" como camelo, quando na verdade, em grego, " kamelos " são as cordas grossas com que se amarram os barcos.A idéia da frase permanece a mesma, mas qual parece mais coerente?
5 - Quando os conquistadores ingleses chegaram à Austrália, assustaram-se ao ver uns estranhos animais que davam saltos incríveis. Imediatamente chamaram um nativo (os aborígenes australianos eram extremamente pacíficos) e perguntaram qual o nome do bicho.
O índio sempre repetia "Kan Ghu Ru" , e portanto o adaptaram ao inglês, kangaroo" (canguru). Depois, os lingüistas determinaram o significado, que era muito claro: o indígena queria dizer: "Não te entendo"
6 - A parte do México conhecida como Yucatán vem da época da conquista, quando um espanhol perguntou a um indígena como eles chamavam esse lugar, e o índio respondeu "Yucatán". Mas o espanhol não sabia que ele estava informando "Não sou daqui".
7 - Existe uma rua no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristovão, chamada "PEDRO IVO ". Quando um grupo de estudantes foi tentar descobrir quem foi esse tal de Pedro Ivo, descobriram que na verdade a rua homenageava D. Pedro I, que quando foi rei de Portugal, foi aclamado como "Pedro IV" (quarto). Pois bem, algum funcionário da prefeitura, ao pensar que o nome da rua foi grafado errado, colocou um "O" no final do nome.O erro permanece até hoje..

terça-feira, 9 de novembro de 2010

SÓ QUEM É NORDESTINO ENTENDE

Botão é pitôco Se é miúdo é pixototinho Se é resto é cotôco Tudo que é bom é massa Tudo que é ruim é peba Rir dos outros é mangar Se é franzino é xôxo O bobo se chama leso E o medroso chama frouxo Tá estranho tá tronxo Vai sair diz vou chegar Caba sem dinheiro é liso Pernilongo é muriçoca Chicote se chama açoite Quem entra sem licença emburaca Sinal de espanto é vôtes Se tá folgado tá folote Se a calça tá curta tá pega-bode Quem tem sorte é cagado Quem dá furo é fulero Sujeira de olho é remela Gente insistente é pegajosa Agonia é aperreio Meleca se chama catota Gases se chamam bufa Catinga de suor é inhaca Mancha de pancada é roncha Palhaçada é munganga Desarrumado é malamanhado Pessoa triste é borocoxô É mesmo é Iapôis Correr atrás de alguém é dar uma carrera Passear é bater perna Fofoca é babado resenha Estouro se chama pipôco Confusão é rolo É assim mermo visse mainha? Eita troço arretado

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O NORDESTINÊS DO ALAGOANO

Agora sim....O Nordestinês do Alagoano !!! Alagoano não fica solteiro, ele fica "solto na bagaceira". (que linda palavra)rsrsrs.. Alagoano não vai embora, ele "pega o beco". (Quem nunca disse isso hein?) Alagoano não diz 'concordo com você', ele diz: issssso, homi!!! Alagoano não conserta, ele "imenda". Alagoano quando se empolga, fica com a "mulesta dos cachorro".(HAHAHAHA) Alagoano não bate, ele 'senta-le' a mão. (entra aí) Alagoano não bebe um drink, ele "toma uma". (Não só toma uma, como toma todas) Alagoano não é sortudo, ele é "cagado". (kkkkkk) Alagoano não corre, ele "dá uma carreira". Alagoano não malha os outros, ele "manga". Alagoano não conversa, ele "resenha". Alagoano não toma água com açúcar, ele toma "garapa". Alagoano não mente, ele "engana". Alagoano não percebe, ele "dá fé". Alagoano não sai apressado, ele sai "desembestado". (adoro essa palavra) Alagoano não aperta, ele "arroxa". Alagoano não dá volta, ele "arrudeia". (a melhor do dicionário) Alagoano não espera um minuto, ele espera um "pedacinho". Alagoano não se irrita, ele se "arreta". Alagoano não ouve barulho, ele ouve "zuada". Alagoano não acompanha casal de namorados, ele "segura vela". Alagoano não quebra algo, ele "tora". Alagoano não é esperto, ele é "desenrolado". Alagoano não é rico, ele é um cabra "estribado". Alagoano não é homem, ele é "macho". Alagoano não é gay, ele é "bicha". Alagoano não fica satisfeito quando come, ele "enche o bucho". (Quem nunca encheu o buchinho??? - kkkkkkkkkkkkk) Alagoano não dá bronca, dá "carão". Alagoano quando não casa, ele fica "amigado". Alagoano não tem diarréia, tem "caganeira".(kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk) Alagoano não tem perna fina, ele tem "cambitos". Alagoano não é mulherengo, ele é "raparigueiro". Alagoano não joga fora, ele "avoa no mato". Alagoano não vigia as coisas, ele "fica tucaiando". Alagoano não se dá mal, "se lasca todinho".

DEZ SUGESTÕES PARA SER FELIZ

DEZ SUGESTÕES PARA SER FELIZ. (A.D.) 01– De todas as atividades humanas, preocupar-se, é a menos produtiva. 02 – Não se deixe dominar pelo medo. A maior parte das coisas que tememos nunca acontece. 03 – Não guarde rancor. Ele é uma das cargas mais pesadas da vida. 04 - Enfrente um problema de cada vez. Seja como for só poderá tratá-los um por um. 05 – Não leve os problemas para a cama. São maus companheiros do sono. 06 - Não compre problemas dos outros. Eles podem lidar com eles melhor do que você. 07 – Não reviva o passado. Ela já passou. Concentre-se no que se passa na tua vida e seja feliz agora. 08 – Seja um bom ouvinte. Só quando escutar obterá idéias diferentes das tuas. 09 – Não se deixe abater pela frustração. A auto-compaixão só interfere com as ações positivas. 10 - Contabilize todas as coisas boas. Mas não esqueça as pequenas. Muitas coisas boas pequenas, fazem uma grande.

domingo, 7 de novembro de 2010

AS SERRAS DE MATA GRANDE-Serra da Onça

SERRA DA ONÇA Maceió (Al), 07 de novembro de 2010.
Iniciaremos hoje uma série de matérias dando ênfase as lindas serras que Deus, generosamente , presenteou Mata Grande. A primeira, logicamente, é a Serra da Onça, por ser um dos Cartões Postais da nossa cidade, tanto pela sua exuberância e nome ecológico, como também, por ser um local de constantes visitas e de passeios tradicionais.
De quase todos os pontos da cidade se vislumbra a ferocíssima Serra da Onça com sua igrejinha branca, suas pedras esbranquiçadas e suas áreas verdejantes. No inverno, quando as águas escorrem, com o brilho do sol elas ficam brilhosas, dão um reflexo de luz maravilhoso. Conta-se que antigamente, existiam locais onde as onças dormiam.
Anualmente, por ocasião da Semana Santa, há uma tradição de subir a Serra da Onça, onde muitos passam o dia, levam água, vinho e lanches e junto aos amigos e familiares buscam o famoso "banguê" (tubérculo agri-doce encontrado entre as pedras). Há uma tradição de rolar as pedras, porém, ultimamente, com o aumento das pastagens onde o gado dos criadores se alimentam , este costume tem diminuido muito. A foto acima, cliquei em uma Sexta Feira Santa, lá do Monte Santo, por ocasião do Terço dos Homens. Aumentando-se o zoom ou, "apurando-se a vista", nota-se que existem pessoas lá em cima. No meio da subida existe uma enorme fenda, onde na época invernosa a claridade reflete, o que na infância, chamávamos a Imagem da Santa.
Quiça, no porvir, algum prefeito ou mesmo integrantes da Secretaria de Turismo de Alagoas, se interessem em tornar viável o acesso, com a construção de alguns degráus (local onde é obrigatório o uso das mãos para subir e descer) bem como, a colocação de postes e corrente ou cordas para proporcionar melhor segurança aos que para lá se dirigem.
O escritor matagrandense Djalma Mendonça em seu livro Monografia do Município de Mata Grande assim a define:
"Outro passeio inesquecível, que paga por ágio o esforço físico dos que possuem boa saúde e fortes pernas para subirem até lá, é, certamente, o da Serra da Onça, onde se chega por estreita trilha, galgando 700 metros de altitute, pouco mais ou menos.
Alí, no ponto mais alto, entre fraguedos, branqueja ao sol do verão, em atmosfera rarefeita e puríssima, ou nos ligeiros intervalos da névoa do rigoroso inverno matagrandense,minúscula capelinha, dedicada a Santo Antônio, por um de seus devotos, o comerciante Antonio Rodrigues Albuquerque.
O penoso sacrifício da subida, íngreme e tortuosa, é compensado, à larga , pelo magnifico e extasiante quadro que se descortina aos nossos olhos.
A visão paradisíaca é limitada no horizonte longínquo, ao oeste, pela cordilheira do Moxotó, com seus belíssimos pontos mais altos, destacando-se a do Parafuso, semelhante a essa peça mecânica e, mais ao sul, o chamado Serrote Preto, lembrando um chapéu de abas para baixo, cuja beleza talvez só encontre rival no famoso Gigante que Dorme, emoldurante a famosa Baía de Guanabara.
Aqui, porém nada se deve à mão astuta do homem; os nossos olhos apenas se maravilhao o comptemplar a obra explêndida do Criador!
Ao norte, outra visão fascinante! a serra da Boa Vista, sugerindo gigantesca cabeça de serpente, cujo corpo é formado pelo seu prolongamento, de dorso mais baixo, mas que nos corta a linha visual para horizontes mais largos."
Em tempo: leiam o que escreveu o jornalista Walter Medeiros no site www.rnsites.com.br/Mata Grande.
"PEDRAS DA SERRA --- Walter Medeiros No sertão onde eu vivi, o homem não deixa nada sem conhecer de perto. É curioso e procura os mínimos detalhes sobre sua vida e o ambiente que habita. E isso o leva a se acostumar com as cobras, as rochas e os espinhos. Ali pouco importa muita coisa que o desenvolvimento traz, principalmente quando leva vida simples. Foi por isso que subi a Serra da Onça, num convescote em certo domingo. Era muita gente. Quem já conhecia, ia mostrando os caminhos aparentemente impossíveis de seguir. Perigosos, porém não intransponíveis. A recomendação menor era com as coroas de frade. O maior cuidado, não escorregar. A pé se foi até a serra. Muita disposição exigia-se para poder subir, mas todo preparo era pouco para evitar o cansaço. Todo ânimo ressurgia, ao sentirmos que estava próximo o cume, com seus segredos, suas lendas e rochas até hoje não visitadas. A beleza da paisagem era muito grande. Todos ficavam a apreciá-la. Seguiam, porém, aos poucos, até se juntarem para comentar o medo de alguns, o desajeitamento de outros, as plantas nascidas das pedras. Soltávamos a imaginação, esquecendo até a quentura das rochas sob o calor do começo da tarde. Conhecemos a Serra, nos divertimos e depois chegou, para muitos, a maior apreensão: descer de volta! Foi muita aflição junta, mas todos conseguiram. E a serra ficou lá, indiferente à visita, como representante dos poderes da natureza. Imortal, hoje talvez sem se abalar sequer com os anos de seca na região, que trazem penúria ao povo nordestino. "

O IDIOTA E A MOEDA

O IDIOTA E A MOEDA - Arnaldo Jabor Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 RÉIS e outra menor de 2.000 RÉIS. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos. - Eu sei, respondeu o tolo. "Ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda”. Podem-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa. A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é. A segunda: Quais eram os verdadeiros idiotas da história? A terceira: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda. Mas a conclusão mais interessante é : A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito. Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos. O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante de um idiota que banca o inteligente. Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam... é problema deles.

O DESARMAMENTO

História para quem esqueceu, ou nunca soube: (Fonte: terra) Em 1929, a União Soviética desarmou a população ordeira. De 1929 a 1953, cerca de 20 milhões de dissidentes, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1911, a Turquia desarmou a população ordeira. De 1915 a 1917, um milhão e meio de armênios, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1938, a Alemanha desarmou a população ordeira. De 1939 a 1945, 13 milhões de judeus e outros "não arianos", impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1935, a China desarmou a população ordeira. De 1948 a 1952, 20 milhões de dissidentes políticos, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1964, a Guatemala desarmou a população ordeira. De 1964 a 1981, 100.000 índios maias, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1970, Uganda desarmou a população ordeira. De 1971 a 1979, 300.000 cristãos, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Em 1956, o Camboja desarmou a população ordeira. De 1975 a 1977, um milhão de pessoas "instruídas", impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados. Pessoas indefesas caçadas e exterminadas nos países acima, no século XX, após o desarmamento da população ordeira, sem que pudessem se defender: 56 milhões. Os resultados, no primeiro ano, foram os seguintes: Os homicídios subiram 3.2%, as agressões 8.6%, os assaltos a mão armada 44%. Somente no estado de Victoria, os homicídios subiram 300%. Houve ainda um dramático aumento no número de invasões de residências e agressões a idosos. Os políticos australianos estão perdidos, sem saber como explicar aos eleitores a deterioração da segurança pública, após os esforços e gastos monumentais destinados a "livrar das armas a sociedade australiana". Nos Estados Unidos, onde a decisão de permitir o porte de armas é adotada independentemente por cada estado, todos os estados com leis liberais quanto ao porte de armas pela população ordeira têm índices de crimes violentos em muito inferiores à média nacional, enquanto os estados com maiores restrições ostentam índices de crimes violentos expressivamente superiores à média nacional. Washington, onde a proibição é total, é a cidade mais violenta dos EUA. Com armas, somos cidadãos. Sem armas, somos súditos. Quem desarma a vítima fortalece o agressor. Na hora do perigo, será que a polícia vai estar lá? Chamar a polícia pode levar alguns segundos, esperar por ela pode levar o resto da sua vida. Uma arma na mão é melhor que um policial ao telefone. O Brasil tem a mania de andar na contra-mão da história. E aqueles que tomam, por nós, as decisões, estão confortavelmente protegidos pelo aparato de segurança do Estado, circulando em carros blindados, tudo pago pelo nosso dinheiro. A única coisa que temem é o uso consciencioso do voto. Do nosso voto. Não atire para matar, mas atire para ficar vivo. Criminosos adoram o desarmamento das vítimas. Faz a atividade deles muito mais segura.