sexta-feira, 21 de julho de 2017

DESABAFO - Germano



DESABAFO – Germano

Sou brasileiro, nordestino, nascido no alto sertão alagoano, portanto, sertanejo e disso tenho muito orgulho. Aprendi no lar, na escola e no trabalho o que é ética, seriedade e honestidade, todavia, ultimamente, só ouço que as autoridades não prezam nada disso. Vejo na TV o que é não ser nada disso. As autoridades veem dando exemplos inexplicáveis e condenáveis. Será que aprendi tudo errado?

Como cidadão comum, faço o maior o esforço para adquirir e manter um automóvel em perfeitas condições de uso, além de ter que pagar IPVA, seguro etc. para que o governo, ele governo mantenha a sua parte, conforme reza o Contrato Social.

O governo inaugura excelentes estradas, as montadoras implantam nos automóveis as mais sofisticadas inovações. Tudo muito lindo com festividades, inaugurações fantásticas, tendo a presença de autoridades, as mais variadas possíveis, com os aplausos também da população.

Acontece que o governo,  passa a criar obstáculos nas estradas com a implantação de quebra molas, barreiras eletrônicas com velocidades alternadas de 40, 60, 50, 60, 80, 100 e 110 km por hora em vários lugares e as vezes na mesma BR. Isto confunde o motorista que em um leve descuido, é condenado a pagar as arbitrárias multas, o que nos leva a crer no ditado que se tornou popular... "é a indústria da multa". Por que não adotar as velocidades de 50, 80 e 100 como padrão, tanto nas cidades como nas estradas?

Afora isto, treina os policiais para ficarem escondidos na vegetação à espreita de motoristas desatenciosos, onde normalmente, os cidadãos caem nas esparrelas e são multados, pois argumentos não os convencem. Você pode ter conduta ilibada, porém, na primeira vez que erra não tem perdão, é multado, não se olha o passado do motorista. Acabou o tempo em que a orientação para não se errar mais era dada na hora, na própria estrada e o cidadão ficava envergonhado do erro cometido.

Você não pode errar, somente o governo pode, é o que estamos vivenciando.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

RELEMBRANDO O PADRE CÍCERO – Germano








O mês de julho está sendo pródigo para relembrar grandes vultos nordestinos e hoje vem à mente a figura do Padre Cícero Romão Batista, o nosso milagroso Padre Cícero ou  Padim Ciço, como é conhecido entre nós. 
Não obstante a não concordância da Igreja em torna-lo Santo, em 2001 foi escolhido como “O Cearense do Século”, foi também no ano de 2012 eleito como um dos “100 maiores brasileiros de todos os tempos”.

Nasceu em 24/03/1844 na cidade do Crato, onde  iniciou seus estudos   mas, somente ingressou no seminário em 1865, era um aluno mediano , somente foi ordenado padre no dia 30.11.1870 e no ano seguinte visitou pela primeira vez o Juazeiro do Norte, onde posteriormente se instalou em  definitivo.

Lá desenvolveu o seu trabalho que foi aceito por todos e devido o grande aumento, decidiu por aceitar a ajuda de mulheres e homens e dentre eles um grande líder do Caldeirão de Santa Cruz do Deserto chamado José Lourenço Gomes da Silva.

Devido a milagres a ele atribuídos foi suspenso das ordens sacerdotais o que cumpriu com resignação, somente recebendo o perdão em dezembro de 2015. Já fiz duas promessas uma paguei em 1970 e outra estou devendo, no entanto, brevemente , vou ao Juazeiro.

Era um homem do povo e, portanto, um grande político. Foi prefeito de Juazeiro e depois eleito Deputado Federal, foi também eleito vice-governador do Ceará passando para a história como um autêntico coronel nordestino. Era contrário ao comunismo do qual certa feita disse: "O comunismo foi fundado pelo Demônio. Lúcifer é o seu nome e a disseminação de sua doutrina é a guerra do diabo contra Deus. Conheço o comunismo e sei que é diabólico. É a continuação da guerra dos anjos maus contra o Criador e seus filhos”.

Como político era também polêmico e mantinha uma estreita amizade com o Deputado Floro Bartolomeu e com  Virgulino Ferreira da Silva, O Lampião, de quem era padrinho de crisma. É tanto que foi quem conseguiu para ele a patente de Capitão, junto ao Deputado. Da única vez que Lampião foi ao Juazeiro com 49 cangaceiros o Padre pediu que ele abandonasse o cangaço.

O padre Cícero faleceu em Juazeiro do Norte em 20 de julho de 1934, aos 90 anos, encontrando-se sepultado na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na mesma cidade, hoje bem desenvolvida e com grande acesso de romeiros. Tem uma imponente estátua do Padre que é muito visitada. Quiçá a Igreja  Católica o torne um verdadeiro Santo , porque  já o consideramos um autêntico Santo Nordestino.



quarta-feira, 19 de julho de 2017

TER E SER - Ely Barreto



TER E SER – Ely Barreto

Ter e ser são dois modos de vida que precisam andar juntos para a felicidade humana. O homem e a mulher trabalham para ter moradia, para ter comida à mesa para alimentar seus filhos, para poder oferecer-lhes bons colégios, estão lutando para ter. Este é o ter existencial, é aquele modo ter necessário para a manutenção da vida.

O homem e a mulher que trabalham para serem íntegros, honestos, buscando transmitir a seus filhos lições de vida saudáveis, capazes de se realizarem como pessoas, estão lutando pelo modo ser.

Tanto o modo ter quando o modo ser são importantes; o ser necessita do ter para satisfazer suas necessidades e o ter necessita do ser para se tornar mais humano. 

A grande realização está na integração ser- ter.