sábado, 29 de outubro de 2016

MEUS TEMPOS DE MENINO - Remi Bastos



Meus tempos de menino –


Quanta saudade eu sinto
Da querida Mata Grande,
Dos meus tempos de menino,
Rua da Cruz onde morei,
E dos belos dias que passei
Naquele torrão divino.


Mata Grande dos meus sonhos
Dos sítios e dos engenhos,
Um paraíso encantado
Rua de Baixo, Rua de Cima,
Mata Grande das belas meninas
Berço dos meus pecados.


Na calçada da minha casa
Um sobradinho singelo,
Em momentos tão exatos
Com os amigos da rua,
Sob o clarão da lua
Ouvíamos lindas histórias
Contadas por Né Rato.


Mata Grande das águas fartas
Com suas fontes cristalinas,
Cidade linda e amada
Onde cresci livre a sorrir,
Vendo o dia ressurgir
Nas manhãs tão perfumadas.


Deus permita que eu não morra
Sem antes te visitar,
Quero montar meu estande
Dos dias que ali passei
E de tudo que desfrutei
Em teus braços Mata Grande.


Remi Bastos,
Aracaju, 26.10.2016.