segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A GRATIDÃO - Germano




Ontem, dia 09 de outubro de 2016, assistindo a missa na Igreja de Nossa Senhora da Rosa Mística, ouvi atentamente a homilia do Padre Márcio Roberto, onde a palavra gratidão foi pronunciada intensivamente. O evangelho de São Lucas, 17,11-19, foi enfático na parte dos dez leprosos que solicitaram a cura e somente um, justamente um samaritano, retornou a Jesus Cristo para agradecer.

Ora, gratidão quer dizer, reconhecimento, agradecimento pelo bem ou mesmo por um favor recebido, porém, ao longo dos anos o que mais se presencia são pessoas indiferentes. Pessoas que recebem benefícios e não  agradecem ou reconhecem. São pessoas ingratas.

Passei a recordar fatos recentes, onde ouvi de um comerciante que favorecia uma família todo dia de feira com uma complementação para a alimentação, no entanto, ao solicitar um voto o chefe da família pediu imediatamente uma ajuda para si e os outros integrantes da família, o comerciante além de não dar, ficou indignado com a falta de gratidão.

E quem em sua existência nunca passou por fatos semelhantes. A falta de gratidão decepciona por demais, não que se queira, benefícios em troca, porém, a ingratidão deixa marcas indeléveis que somente o tempo apaga.

O gostoso é fazer um favor, um benefício e anos depois a pessoa que o recebe, relembrar e dizer: sempre em minhas orações rezo por você pelo favor que fez em me ajudar. A ajuda pode ter sido  uma colaboração, uma palavra de carinho, um conselho, um simples remédio para um filho doente ou mesmo por uma simples carona até um hospital mais próximo.

Portanto, seja grato a Deus por tudo que lhe foi concedido, seja grato ao semelhante que de uma forma ou de outra lhe agradou, seja grato a sua esposa ou esposo, seja grato aos seus filhos e filhas, amigos e amigas e saiba que, Deus nunca será ingrato com você.