segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

LAMPIÃO EM MATA GRANDE - José Timóteo Pinheiro Filho












LAMPIÃO EM MATA GRANDE – José Timóteo Pinheiro Filho

Timóteo Pinheiro e irmãos expulsaram Lampião e seu grupo quando tentaram invadir Mata Grande em 25 de fevereiro de 1925, era sábado de Zé Pereira, o fato ocorreu as 17h30 da tarde quando os bandidos tentaram invadir a cidade, os irmãos Pinheiros estavam entrincheirados na Rua de Baixo em frente ao atual açougue que era o lixão da cidade, quando os bandidos preparavam para assaltar a cidade. Foram recebidos a bala por Timóteo Pinheiro, Izidio Pinheiro, Manoel Pinheiro, Antônio Pinheiro e Formigão, Balearam quatro cangaceiros e os demais balançaram uma Campa (chocalho) e chamaram Lampião,  o mesmo tentava invadir a cidade pelo antigo Beco de Zé Lúcio e os cangaceiros gritaram: “Lampião volta se não tu morre”, e Lampião respondeu: “Timóteo Pinheiro, eu acabo com a tua raça” e o Sr. Timóteo respondeu: “se tu puder cego da peste, traga tua mãe para tirar raça com alagoano valente”.
Então silenciou o tiroteio, retiraram os baleados em redes, subiram a serra do Ripitete rumo a Lagoa de Santa Cruz, morrendo dois  no Sítio Breu onde foram enterrados e outro morreu na Serra dos Caibros, onde se enterrou, e outro chegou vivo no Serrote Preto onde pediu a Lampião que acabasse de matá-lo para não dar o prazer da polícia matá-lo.
Falando em Serrote Preto, foi lá que se deu a maior chacina das Forças de Alagoas, Pernambuco e Paraíba. Foi uma aflição, os bandidos tocaram fogo na macambira e fugiram. Ficou atirando a força de Alagoas na de Pernambuco e do outro lado atirando a força da Paraíba contra a força de Pernambuco – pensando que estavam atirando nos cangaceiros. Assim morreu grande parte da policia de Pernambuco por conta do mal entendido.
Lampião nasceu em Serra Vermelha no ano de 1900, com 05 (cinco) anos de idade foi morar na Fazenda Poço do Negro, município de Nazaré/PE. Atualmente Serra Talhada. Virgulino Ferreira da Silva desde 16 anos de idade já fazia parte de grupo de cangaceiro. Começou a vida marginalizada com roubo de chocalho do famoso cabra da peste afamado, José Saturnino. Que se tornou grande inimigo dos Ferreiras. Lampião aos 16 anos fez parte do grupo de Antonio Matilde cabra valente e afamado. Por conta dessas confusões seus pais vieram morar em Alagoas, no Sítio Engenho, município de Mata Grande. Seu pai José Ferreira da Silva e sua esposa aconselhavam aos seus filhos para que não praticassem desordens, porque não estavam em Nazaré, onde eram bastante conhecidos. Para que aqui em Alagoas não viéssem a sofrer perseguição da polícia. Os Ferreira andavam por todos os lugares, frequentavam as feiras de Água Branca, Mata Grande, Pedra de Delmiro e outras. Virgulino frequentava com muita assiduidade a cidade Mata Grande, onde era tido como um rapaz pacato e bom. Aqui em Mata Grande chegou até receber o sacramento da crisma tendo como padrinho o Padre Manoel Firmino Pinheiro – Pároco da freguesia.
A revolta de Lampião se deu em virtude do coronel José Lucena de Albuquerque Maranhão em uma de suas diligências matar seu pai e um irmão, e sua mãe vendo aquela cena cruel enfartou e morreu no mesmo instante. Sendo dois enterros de rede no cemitério velho de Santa Cruz do Deserto, e a mãe de Lampião veio de rede em cima de um carro de boi para ser sepultada no cemitério velho de Mata Grande. Daí veio a revolta e o Sr. Virgulino tornou-se cangaceiro.
O Sr. Timóteo Pinheiro o homem da família mais valente de Mata Grande nasceu em 12 de janeiro de 1898, dois anos mais velho que Lampião. São homens trabalhadores honestos, não eram dados a desordens, iniciaram a vida na espingarda por problemas de família e por conta desse acontecimento (morte dos parentes). Povo de senhor Fragoso denunciou os Pinheiros a Lampião, daí Lampião passa a perseguir os irmãos Pinheiros mais nunca levou vantagem, só levou desacerto, tanto Virgulino como seus cangaceiros foram barrados varias vezes pelos pinheiros, daí Lampião passou a respeitar os Pinheiros, mas foram inimigos mortais até a morte. Todos os pinheiros morreram de doença e de idade em seus leitos. Os pinheiros são conhecidos por toda população de Mata Grande e a redação deste fato está sendo contada por mim: Professor acadêmico José Timóteo Pinheiro Filho, filho do falecido Timóteo Pinheiro. Caso necessite mais esclarecimentos estou a disposição para informar.

 Mata Grande, 1º de setembro de 2008 .

 José Timóteo Pinheiro filho

 PARABENS O TODOS QUE AJUDAREM A CONTAR ESSA LINDA HISTORIA:
NOTA DO BLOG.:
Este fato foi copiado do facebook de Zezinho de Laura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário