quarta-feira, 25 de maio de 2011

VALE A PENA RELEMBRAR - Sebastião Alves Bezerra (Monsenhor)

Brasília-Df., 25 de maio de 2011.

Primo legítimo do meu pai,(Balbino Alves Bezerra) nasceu em 11.06.1907, ordenou-se em 30.11.1929 e faleceu em 08.07.1984.
Com dez anos e meses de idade foi para o Seminário de Maceió.Depois estudou em Aracaju, voltando para Maceió com 21 anos, tendo esperado dezesseis meses para que a Santa Sé dispensasse a idade canônica que era de vinte e quatro anos, para poder se ordenar.

Foi ordenado em Penedo mas a sua primeira missa foi celebrada em Mata Grande, sua cidade natal.

Foi nomeado vigário de Coruripe e diretor do jornal O APÓSTOLO durante três anos.

Em 1951 foi para a paróquia de Água Branca onde fez BODAS DE OURO no Sacerdócio, tempo inteiramente dedicado ao serviço de DEUS e do próximo. Ao falecer, deixou um grande legado de obras e construções como a casa paroquial, escola paroquial e vinte e cinco casas onde os pobres moram gratuitamente.
Exerceu por muitos anos o cargo de Diretor do Colégio Cenecista Barão de Água Branca.


Foi um grande sacerdote






Leiam agora como o Monsenhor descreveu a sua própria biografia:

“HISTÓRICO GERAL DA VIDA DO MONSENHOR SEBASTIÃO ALVES BEZERRA
Nasci no dia 11 de junho de 1907 em Mata Grande- Al., contando então dez anos e meses de idade matriculei-me no Seminário de Maceió, sendo mentor de minha vocação sacerdotal, o então Pe. Macedo, vigário da minha Paróquia. Fomos quatro, dentro os quais dois se ordenaram e dois desistiram na caminhada em busca do sacerdócio.

Terminando o curso preparatório, deixei o Seminário de Maceió e matriculei-me no Seminário de Aracaju, de onde saí depois de dois anos, voltando a Maceió onde terminei o curso Teológico com vinte e um anos, tendo esperado dezesseis meses para que a Santa Sé dispensasse a idade canônica que era de vinte e quatro anos afim de que com vinte e dois anos e quatro meses eu pudesse me ordenar, o que aconteceu.

Minha vocação vacilou muito tendo se consolidado ao começar o curso Teológico para não vacilar. Hoje depois de minhas bodas de ouro sacerdotais, dou graças a Deus por te sido Padre e como tal dedicado ao serviço de Deus e do próximo. Nunca esqueci o ensino do modelo dos padres. – Jesus Cristo que disse pra exemplo de seus discípulos embaixadores na terra: “Eu não vim para ser servido, mas para servir.”
Depois de vacilações voltei ao Seminário de Maceió, onde fiz o restando do meu curso até chegar ao Sacerdócio de certo ajudado pelas orações de minha mãe que dizia, mesmo antes do meu nascimento, que se eu fosse homem, era para ser padre.


Por ser da Diocese de Penedo, fui ordenado naquela cidade, por Dom Jonas de Araújo Batinga. Como era de costume, passei quinze dias sem celebrar esperando para celebrar minha primeira missa em minha cidade natal – MATA GRANDE -. Concelebraram comigo os seguintes sacerdotes: Monsenhor Francisco Xavier de Macedo, meu padrinho de Crisma, escolhido por mim mesmo; Pe. Manoel Firmino Pinheiro; Pe. Fernando Soares Vieira, hoje Mons. Fernando; Pe. Moisés dos Anjos, hoje Mons. , atual vigário de Olho d Água das Flores; Pe. José Tavares e o Diácono Epitácio Rodrigues. A cerimônia foi um acontecimento raro.


Ao chegar a Penedo, o Sr. Bispo D. Jonas mandou que eu, fosse celebrar a Santa Missa de Natal em Coruripe, atendendo ao convite de Pe. Castro de Azevedo, Diretor da Usina Coruripe, cujo vigário tinha viajado a Itália para voltar, mas tendo ficado definitivamente com a família, fui nomeado vigário daquela Paróquia, onde permaneci quinze anos. Lá ficaram os frutos do meu sacerdócio vivido a começar dos meus vinte e dois anos e meses, até trinta e oito anos. Certo dia conversando com Pe. Américo Pita, filho da terra, isto é, Coruripe, ele me disse de chôfre: - Por que você não funda aqui uma Escola? O que logo aconteceu. Ai começou meu interesse pela instrução dos pobres e posteriormente pelos pobres em geral. Nessa Escola várias pessoas ensinavam gratuitamente, destacando-se o Prof. Manoel Cecílio de Jesus, emérito educador, por cujo Colégio sob sua direção, passaram quase todos os doutores, filhos daquela cidade, que ao foram poucos; muitos deles ocupando hoje posições de relevo na sociedade. Matemático, mesmo depois de cego, ensinava esta matéria, pedindo ao aluno que não negasse os números. Lá deixei construídas as seguintes obras: Escola Cônego Jacinto; Casa dos Pobres; Abrigo de Crianças Pobres “Castro Azevedo”. Devo salientar a honra daquelas famílias, que estas obras foram construídas e funcionavam as expensas do povo. O governo naquele tempo não ajudava tais obras. De lá saí em 1947 a convite do Sr. Bispo Dom Fernando Gomes, para exercer o paroquiato em Penedo, onde dirigi o Jornal “O Apóstolo” durante três anos. Achei o povo de Penedo dotado de excelentes qualidades sociais e religiosas.


Daí para a Paróquia de Água Branca em 1951, que em tempos anteriores era chamada por Dom Jonas “ A gema preciosa de sua Diocese”. Os novos tempos que lhe roubaram elogios tão expressivos o progresso trás muitas coisas boas, mais por outro lado deteriora outras boas coisas que os nossos antepassados nos legaram, sobretudo , no plano espiritual.
Em Água Branca reestruturei o Orfanato Nossa Senhora do Rosário, hoje Educandário, construí o grande prédio onde funciona com matrícula superior a cem alunas internas, algumas com bolsas de internamento concedidas pela FEBEM e Secretaria da Educação.
Aqui fiz as seguintes construções: A casa paroquial Escola Paroquial e vinte e cinco casas onde os pobres moram gratuitamente. Como Diretor do Colégio Cenecista Barão de Água Branca, construí o auditório que é utilizado também pela sociedade local em suas festas, reuniões, debates, Jurí, etc.
Atingindo a idade limite, aguardo confiantemente o julgamento de Deus. Construí muito e menos fiz o que hoje se chama de apostolado catequético.”

quinta-feira, 19 de maio de 2011

AS IGREJAS DE MATA GRANDE - Igreja do Sítio Buenos Ayres




A igreja do Sítio Buenos Ayres, construída por Zeca Beier.


Maceió -Al., 19 de maio de 2011.

Construída pelo grande industrial José Florentino Villar (Zeca Beier) que possuía muitas terras e um vapor de descaroçar algodão no sítio Buenos Ayres, próximo a fazenda do meu avô José Barbosa de Mendonça.
Conta-se que Zeca Beier era alvo de inveja de um grande comerciante de algodão de Água Branca –Al., que movido pela grande inveja contratou Lampião e seus asseclas para seqüestrar a filha do Industrial e atear fogo ao vapor.
Lampião não conseguiu seu intento de seqüestrar a moça, pois José Vilar de Mendonça (meu tio) soube com antecedência e avisou.Todos se retiraram de casa, dormiam no mato e numa certa tarde de domingo o temido cangaceiro apareceu com trinta e dois homens ,matou a tiros de fuzil e parabelum mais de trezentos bovinos que estavam nas proximidades da casa , ateou fogo ao vapor cujo algodão e lã armazenados, queimaram por mais de dois meses.

UTILIDADE PÚBLICA - Dicas Importantes.

Maceió (Al), 19 de maio de 2011.



Notícias que não são divulgadas... não testei todas, mas vale a pena conhecer.
Quatro informações úteis não divulgadas!


IMPORTANTE :

1. Se quiser tirar uma cópia da certidão de nascimento ou de casamento, não precisa mais ir até um cartório, pegar senha e esperar na fila.
Use o Cartório Eletrônico:

www.cartorio24horas.com.br

Nele você resolve essas (e outras) burocracias, 24 horas, on-line. Cópias de certidões de óbito, imóveis, e protestos também podem ser solicitados pela internet.
Para pagar imprima o boleto bancário.
Depois os documentos chegam via SEDEX dos Correios.


2. AUXÍLIO À LISTA

Telefone 102... não!
Agora é: 08002800102
Vejam só como não somos avisados das coisas que realmente são importantes...
NA CONSULTA AO 102, PAGA-SE R$ 1,20 PELO SERVIÇO.
SÓ QUE A OPERADORA NÃO INFORMA (E NEM TEM INTERESSE DE INFORMAR) QUE EXISTE UM SERVIÇO VERDADEIRAMENTE GRATUITO.


3. Importante:

Documentos roubados - B.O. (Boletim de Ocorrência) dá gratuidade - Lei 3.051/98 - Você sabia?

A Lei 3.051/98 dá direito de, em caso de furto ou roubo (mediante a apresentação do Boletim de Ocorrência Policial) à GRATUIDADE na emissão da 2a via de documentos como:
Habilitação (R$ 42,97);
Identidade (R$ 32,65);
Licenciamento Anual de Veículo (R$ 34,11).

Para conseguir a gratuidade, basta levar o original do B.O. e uma cópia (não precisa ser autenticada) para o Detran (casos de Habilitação e Licenciamento) e para a SSP.

4. MULTA DE TRÂNSITO:

No caso de multa por infração leve ou média (atenção! Apenas se você não foi multado pelo mesmo motivo nos últimos 12 meses), não precisa pagar multa. É só ir ao DETRAN e à SMTT e pedir o formulário para converter a infração em advertência com base no Art. 267 do CTB. Levar Xerox da carteira de motorista e a notificação da multa. Em 30 dias você recebe pelo correio a advertência por escrito. Perde os pontos, mas não paga nada.

Código de Trânsito Brasileiro

Art. 267 - Poderá ser imposta a penalidade de advertência por escrito à infração de natureza leve ou média, passível de ser punida com multa, não sendo reincidente o infrator, na mesma infração, nos últimos doze meses, quando a autoridade, considerando o prontuário do infrator, entender esta providência como mais educativa.

Informe enviado pelo matagrandense Expedito Vidal, em maio/2011.

terça-feira, 17 de maio de 2011

AS RUAS DE MATA GRANDE - Rua Afonso de Carvalho (Ripitete)









Maceió (Al), 17 de maio de 2011.

O RIPITETE

Domingo, dia 15 de Maio de 2011, estava em Mata Grande e resolvi ir caminhando comprar pães para o café matinal. Como sempre, levei a máquina fotográfica a tiracolo e cliquei algumas parte da estrada do Almeida que estava encantadora, com o verde peculiar das bananeiras, pastagens e acima de tudo aquela neblina que todos conhecemos e adoramos. Quem participar do Orkut, veja as fotos no álbum "Mata Grande Hoje".

Ao subir a ladeira do Ripitete, Rua Afonso de Carvalho, fiquei mais uma vez muito entristecido com o descaso que os nossos Administradores dão as nossas ruas e praças que são construídas por seus antecessores. Na Rua Afonso de Carvalho, atendendo aos antigos anseios dos moradores daquela artéria, foi iniciado a construção de uma praça, acredito que, devido a questão de tempo, ainda não foi concluída, muito embora, a nova administração já ter ultrapassado os dois anos sem determinar quaisquer tipos de melhorias ou conclusões. O mais degradante é o lixo que os próprios moradores depositam na praça, razão pela qual, é salutar um trabalho de conscientização por parte da Secretaria de Viação e Obras Públicas que fica localizada na mesma via.

Conforme determinação legal, todos os municípios com mais de vinte mil habitantes, são obrigados a seguir a orientação de um Plano Diretor, não sei se a nossa cidade já o possui. Seria bastante interessante que a Câmara de Vereadores , juntamente com o Gestor do Município o divulgassem, pois, pode até conter a obrigatoriedade da conclusão da praça e a de manter aquela e outras ruas em perfeito estado de conservação e limpeza.


Apelamos, portanto, aos Senhores Vereadores e ao Gestor Municipal , que juntos, procurem melhorias para a Rua do Ripitete, as fotos dão uma boa idéia.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

AS IGREJAS DE MATA GRANDE- A Igrejinha do Almeida


















Não sabemos quem a construiu, todavia, o meu pai Balbino Alves Bezerra adquiriu uma parte de terras no Sítio Almeida nos idos de 1937, ficando sob o seu domínio até 1981 quando faleceu.
Conta-se que antigamente morava na casa grande uma senhora chamada Dona Sinhá, que ao falecer deixou uma “botija”, posteriormente, tentou doar a um cidadão chamado Epaminondas, criado por ela desde a tenra idade,o qual, posteriormente, se tornou marinheiro.Tempos depois um outro cidadão, até hoje desconhecido, a retirou e sumiu, deixando um buraco próximo a uma janela.
Nos idos de 1965 Epaminondas visitou Mata Grande e contou este episódio, afirmando que durante a segunda guerra estava em alto mar, próximo a Argentina, quando a Mãe Sinhá falou da dita “botija” e ele recusou, por não ter como se deslocar.Falou até do local onde a mesma estaria enterrada, no segundo tijolo de ladrilho, próximo à janela de onde se vislumbrava a Igreja .
Hoje a Igrejinha do Almeida vive sob os meus cuidados, onde já foram batizadas algumas das netas. Esporadicamente, mandamos celebrar missa, alguns anos atrás , foram rezadas novenas e algumas pessoas pagam promessas com a Santa Padroeira Nossa Senhora da Penha.

DICAS DE AUTO AJUDA - A Bagagem

Maceió-Al., 11 de maio de 2011.

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão... A medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando. Porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho...

A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas. Pesa demais... Então você pode escolher:

Ficar sentado a beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil... Pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Você pode ficar a vida inteira esperando ...

Ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas, o que tirar ? Você começa tirando tudo para fora, e vendo o que tem dentro... Amor, amizade, amor, amizade... Nossa!!! Tem bastante, e curioso... Não pesa nada!!!

Mas tem algo pesado.... Você faz força para tirar.... É a raiva - como ela pesa!!! Aí você começa a tirar, tirar e aparecem a incompreensão, o medo, o pessimismo... Nesse momento, o desânimo quase te puxa pra dentro da mala .... Mas você puxa-o para fora com toda a força, e aparece um sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem....
Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a felicidade... Você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira pra fora a tristeza...

Agora, você vai ter que procurar a paciência dentro da mala, pois vai precisar bastante.... Procure então o resto: Força, esperança, coragem, entusiasmo, equilíbrio, responsabilidade, tolerância, bom humor... Tire a preocupação também, e deixe de lado.
Depois você pensa o que fazer com ela...

Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo! Mas pense bem no que vai colocar lá dentro !!!

Agora é com você... E não se esqueça de fazer isso mais vezes... Pois o caminho é muito, muito longo.

Fica com Deus!

OBS.: Matéria enviada pela matagrandense Rosineide Oliveira, através do ORKUT, no dia 01.05.11.

DICAS DE SAÚDE - Dor no Joelho

Maceió (Al), ll de maio de 2011.

DOR NO JOELHO, QUAL A CAUSA? COMO TRATAR?

Nos dias de hoje uma das principais queixas do ambulatório de ortopedia são as dores no joelho. É comum vermos um paciente referindo que seu joelho estala, sai do lugar ou simplesmente que este dói.

As dores se devem a vários fatores, tanto internos, como externos. Os internos são aquelas causas de origem anatômica (genética) ou adquirida. Ou seja: são pessoas que tem os joelhos valgos (em X), pé plano (pé chato), pacientes com lesões, tal como a lesão do menisco, condromalácea (amolecimento da cartilagem) ou um estado degenerativo da articulação que é a artrose (pacientes mais velhos).

Já as causas externas acometem principalmente aqueles pacientes, principalmente “atletas” que por falta de orientação, praticam suas atividades esportivas de forma inadequada ou usando o equipamento inadequado. É muito comum encontrarmos nas academias de ginásticas pessoas usando tênis caríssimos e que de fato não são indicados para o tipo de pé ou de perna que as pessoas têm. Uma simples avaliação médica especializada pode evitar uma futura lesão.

Outra queixa comum são os “estalidos” no joelho, que na maioria das vezes não são uma patologia, mas sim uma característica momentânea de alguns joelhos. Quando esses estalidos passam a ser dolorosos isso sim é um sinal de alerta.

Vemos ainda pacientes que referem que o joelho “sai do lugar”. Essa queixa deixa sempre o ortopedista em sinal de alerta, pois muitas vezes pode representar uma lesão ligamentar. É sempre importante investigar.

Pessoas acima do peso que querem se beneficiar da prática esportiva como coadjuvante na perda de peso, passam por um grande dilema, pois muitas vezes apresentam dor no joelho e isso as incapacita de fazer uma atividade esportiva.

A solução nesses casos é a adequação da atividade: tênis apropriado, esporte de menos impacto, uso de medicações antiinflamatórias, proteções articulares. Na verdade o joelho é uma articulação que sofre muitas agressões no seu dia-a-dia, pois ela sustenta todo o peso do corpo e funciona como um amortecedor biológico que nós temos. A falta de cuidado para com o joelho é a principal causa de patologias.

É fundamental que se pare de procurar o médico só com fins curativos, mas que se procure com a finalidade preventiva.

fonte: FÁBIO RAMOS COSTA é ortopedista, especialista em joelho e Medicina Esportiva, membro da Sociedade Brasileira de joelho e medicina esportiva.

terça-feira, 10 de maio de 2011

DICAS DE LIMPEZA - Use o Vinagre

Maceió -Al., 09 de maio de 2011.

Limpe a casa com vinagre:

Use esse poderoso ingrediente na faxina e livre-se de produtos perigosos. Incrível como gastamos dinheiro com produtos de limpeza, não é mesmo? Mas saiba que isso pode ser diferente. Basta conhecer as utilidades de um ingrediente simples da cozinha: o vinagre branco. Ele pode ser aplicado na faxina da casa.

Reunimos algumas dicas de uso do vinagre na limpeza de paredes, armários e até de panelas. Além de ficar livre de produtos tóxicos (*), você irá eliminar odores, desinfetar e lustrar com facilidade. E por um custo bem menor do que o dos limpadores comuns.

PAREDES: faça uma solução de vinagre e água morna em partes iguais. Aplique-a sobre riscos de lápis e marcas espalhadas pelas paredes. Esfregue o local com um pano macio até que as manchas desapareçam.

ARMÁRIOS: para eliminar o odor de mofo, esvazie os compartimentos e deixe pernoitar, dentro do móvel, uma bacia ou assadeira com vinagre branco puro. Em seguida, passe um pano embebido nesse líquido.

ODORES DE ANIMAIS: para eliminar o cheiro de urina e fezes dos bichos de estimação, remova a parte sólida dos resíduos. Em seguida, aplique uma solução de dois terços de água morna e um terço de vinagre branco. Logo depois, aplique um pouco de vinagre puro sobre o local e deixe secar naturalmente.

BANHEIRO: remova o mofo do rejunte dos azulejos aplicando uma boa quantidade de vinagre branco puro com uma escova de dente velha. Deixe-o agir por duas horas e, depois, lave a superfície com água e sabão. Para esfregar registros e as peças de louça, use uma esponja macia embebida numa solução (meio a meio) de água e vinagre.

LAVANDERIA: coloque num borrifador a mesma quantidade de água e vinagre branco. Aplique sobre manchas nas roupas antes de colocá-las na máquina. Para aumentar o poder de limpeza do seu sabão em pó, espere a máquina de lavar encher e adicione à água uma xícara de chá de vinagre puro. Depois, deixe lavar normalmente.

COZINHA: esqueceu a panela no fogo? Para retirar resíduos queimados do fundo de panelas e frigideiras, encha-as de água e adicione 4 colheres (sopa) de vinagre branco. Leve ao fogo e deixe ferver. Espere esfriar e lave normalmente.

Mas há mais benefícios do vinagre na cozinha:
a - para desinfetar a máquina de lavar louças, dê um ciclo de pré-lavar com uma xícara (chá) de vinagre;

b - para deixar os copos de vidro brilhantes, deixe-os de molho numa bacia com água e gotas de vinagre branco. Depois, lave-os com detergente;

c - para deixar o fogão novinho em folha após fazer frituras, deixe um pouco de vinagre sobre a gordura 15 minutos antes de começar a limpeza.

SUGESTÃO: AO LAVAR TOALHAS DE BANHO NA MÁQUINA, SUBSTITUA O AMACIANTE POR VINAGRE.


obs.: Recebi por e-mail,portanto,experimente primeiro, pois não fiz o teste.

VALE RELEMBRAR - Aloysio Vianna Martins (Cônego)

– ALOYSIO VIANNA MARTINS -
Nasceu em Mata Grande no dia 22.10.1917 e faleceu em 16.03.2004.Seus pais eram Manoel Alves Martins e Adília Vianna Martins, que geraram também Etelinda Vianna Martins.Seu Manoelzinho nasceu no sítio Espanha, mudou-se para a cidade onde permaneceu até 1963. Adília era de Ilha das Flores-Pe.,e faleceu com 28 anos de idade, vítima da gripe espanhola.

O pequeno Aloysio com aproximadamente quatro anos de idade, chorou muito.Houve o segundo matrimônio, após alguns anos, Etelinda foi morar com a avó paterna e o menino continuou onde estava.

A sua primeira escola foi em casa, pois a segunda esposa do seu pai Dona Lyzete Lisboa Martins era profesora e lecionava na própria residência.

Aos onze anos de idade,o seu padrinho de batismo, Monsenhor Francisco Xavier de Macedo, então pároco de Palmeira dos Indios, confirmou o trato que fizera com o "compadre Manoelzinho" e o recebeu em sua casa. Lá o Aloysio fez até a 4a. série, tendo sido aprovado em todas as matérias com boas notas.Estava com 13 anos de idade.

Quando chegou ao Seminário de Maceió foi novamente aprovado.A vida era dura, de modo que, de sofrimento ele entendia muito bem. Muitos seminaristas contemporâneos desistiram e somente ele e mais quatro colegas chegaram a se ordenar.

Na catedral Metropolitada de Maceió,no dia 16.11.1941 tornaram-se présbíteros cinco jovens com idade média de 24 anos cada.Todos eles preparados no Seminário Diocesano D. Antonio Brandão.

A primeira missa neo-sacerdotal foi realizada em Mata Grande no dia 14.12.1941. Foi um acontecimento de grande significação. O coral do seminário de Maceió, compareceu para cantar e o Padre Manoel Firmino Pinheiro, veio da Paraíba trazendo também o coral da sua Paróquia, o que gerou uma polêmica.

Então o jovem Padre combinou com os seminaristas para que o coral paraibano cantasse e, eles cantariam o TE DEUM LAUDEMUS após a missa, e assim foi feito.Foi uma grande festa, complementada pelas formaturas de suas irmãs Maria Cleone e Etelinda, que também cursaram na Capital Alagoana.

No primeiro semestre de 1942, o Pe. Aloysio foi designado para assumir a Paróquia de Piaçabuçu (Al). A recepção foi solene.As autoridades e o povo em geral fizeram o que há de melhor para acolher o novo pároco e a sua comitiva,composta de vários familiares e uma celibatária de meia-idade, que seria a encarregada de providenciar a alimentação, cuidar da casa e vestuários. O nome dela era Maria José Vieira, cuja alcunha era MASÉ. Trabalhava na casa de D. Maria Judite, como doméstica, a cedeu porque tinha duas ajudantes. Recomendou, entretanto, que ela iria emprestada. Neste momento a Masé retrucou dizendo que não saia como farinha. Masé permaneceu com o Padre na casa paroquial de Mata Gande até o seu fim terreno em 23 de fevereiro na década de 1970. D.Judite nunca reclamou o seu regresso.

O povo da cidade no início, vendo àquele padre bem jovem e magro perguntava " e este menino vai dar conta da paróquia?" Ele deu conta sim, deixando-os satisfeitos. A malária, entretanto, o atingiu, enfraquecendo-o. O sr. Bispo vendo a situação, providenciou a sua transferência.

A 2a. Paróquia foi Sertãozinho, hoje, Major Izidoro. Lá também foi muito querido. Estava bem de saúde, cuidando dos afazeres paroquiais, quando teve uma surprêsa. D. Fernando Gomes, Bispo Diocesano, falou-lhe que Mata Grande estava vacante e seria bom que ele assumisse a paróquia. Pegado de surpresa respondeu que "nenhum profeta é bem recebido em sua terra", e que estava gostando de Sertãozinho. O Sr. Bispo não insistiu, mas o padre ficou pensativo e terminou aceitando.

Chegou em Mata Grande sua terra natal, sua terceira e última paróquia em agosto de 1947, onde permaneceu até a aposentadoria e posteriormente, passagem para a eternidade. Foi um dedicado servo a serviço da causa que abraçou.

Como Pároco em Mata Grande manteve as tradições que ainda hoje nos trazem gratas recordações como a missa em latim, a procissão de primeiro de janeiro, a da aleluia,onde todos cantavam em plena madrugada o "Glorioso... Ressusita... Jesus Nosso Redentor"... afora outras.Existiam pessoas que trabalhavam em sua casa com denominações que não esquecemos como Maria do Céu, Maria das Neves , Mazé etc.

A minha irmã Valderez Mendonça Bezerra, nasceu em 10.08.47 e o Padre Aloysio foi quem a batizou e foi também o seu padrinho. Foi também professor de Latim, quando estudei no Ginásio Felix Moreno, sempre evitou a política partidária fazendo com que todos frequentassem a Igreja.

Dados levantados pela estudante Liedja.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

VALE RELEMBRAR - Pedro Ferreira Vilar- Seu Vida.

Leiam o que escreveu o escritor matagrandense Ubireval Alencar.

“Ele se dirigia ao Ripitete e de lá para a casa na mesma hora e todas as manhãs. Cultivava o hábito de acordar cedinho e atravessar o centro da cidade até o sítio-fazenda que há anos construíra.

Teve muitos filhos, deixou-lhes como educação maior o modelo de vida ordeira, convivência amiga, sentido de luta e garra diária. Seu Vida, com é popularmente conhecido, passou toda vida na entre-serras e altaneira Mata Grande. Sabe como ninguém o prazer do clima frio no período invernoso. Conhece o sabor nas noites refrescantes na época do verão. Viveu como tantos outros as consequências das secas duradouras, navegou e pôs a salvo alguns náufrados das torrentes das águas.

Uma vida no anonimato. Nunca se interessou pelo exercício do poder político, vivendo sua própria política de administrar a prole numerosa. Assistiu no início com estarrecimento à destruição de famílias que se ultimaram política, econômica e moralmente. Hoje vê ainda e com indiferença as facas cortando corpos jovens por aborrecimentos os mais torpes, presencia a troca de tiros em pleno calçamento da rua por motivos de defesa de partidarismos sem objetivos.

Continua caminhando nas calçadas em que tantos mortos se atropelaram só pelo fato de não terem optado por uma vereda de vida mais pacata. Seu Vida é um leitor do tempo e da História de Mata Grande. Sem discursos, sem falações demagógicas e importunas, espelha a lição de que é preciso agir e trabalhar dignamente, lutar pela obrigação e responsabilidade que assumiu perante o mundo.

É a tônica que contrasta nessa cidade premiada pela natureza, mas tão vulnerável pela especiosa ambição de jovens e imaturos políticos que pensam abarcar o mundo da noite para o dia. Do sobrado em que habita, acompanha paciente o cortejo fúnebre do amigo que se vai, ouve atento os sinos da Matriz, acena comovido aos olhares dos mais jovens.

Fazem falta uma parada no tempo e o cuidado de se dar a escuta da lição de vida dos mais velhos, livros abertos a compreensão dos reais valores da existência. Homens e mulheres que estão nos deixando a proposta política mais convincente da existência: o prazer de viver respeitando o direito de vida do outro. E é de Mata Grande que acodem somente os piores motivos para sua encenação pública. Como se gestos outros de brio e valor nunca tivessem existido. Pois a nossa personagem em destaque - Seu Vida - é um dos Vilar com ramos fincados na história econômica e social de Mata Grande. Exemplo de trabalho e respeito que os seus quase cem anos lhe tributaram.

Deixou descendência. Inclusive uma neta, agora notabilizada pela ação silenciosa, pelo trabalho efetivo de ação social, pela força de sua personalidade como mulhar de ação política e das mais limpas e dignas que chegou a por os pés no Palácio dos Martírios. Denilma Vilar, que esta continuamente passeando pelas calçadas altas da senhorial Mata Grande, espelhando mais uma lição para a História das Alagoas. Ontem, como hoje, Seu Vida não tem pressa de concluir seu testamento, que é o autêntico testemunho de vida. Deixa uma herança que começa a fazer inveja a muitos. "

EM TEMPO: Germano diz: Seu Vida faleceu com 105 anos. Participei da festa do seu centenário. Ele era primo da minha mãe Luiza Villar de Mendonça.

VALE RELEMBRAR - Oldrado de Souza Soares

Nasceu na cidade de Palmeira dos Índios no Estado de Alagoas em 01 de abril de 1903 e faleceu em 13.04.1991 na cidade do Rio de Janeiro. O seu primeiro emprego foi como funcionário da SANBRA, em Penedo - Al., depois se submeteu a concurso público federal e ficou aguardando nomeação por um longo período. Certo tempo soube que havia uma vaga para Coletor Federal em Mata Grande e fez uma carta ao Presidente da República Getúlio Dornelles Vargas, sendo nomeado posteriormente, por Eurico Gaspar Dutra para o cargo de Escrivão da Coletoria das Rendas Federais em Mata Grande, Classe A (5ª Classe) onde durante muito tempo exerceu a função. Não recordo a data em que a Coletoria foi fechada. Seu Oldrado casou com Antonia Barros, natural da cidade de Água Branca, residia na Rua Araújo Jorge (Praça da Matriz ou r Rua de Cima,como é popularmente conhecida), onde tiveram seis filhos. Todas as manhãs, gostava de ficar sem camisa atrás da casa que morava, recebendo a brisa matinal e apreciando as belezas naturais de Mata Grande onde desfrutou de muitas amizades. Era visto lá da Rua Nova. Depois foi removido para a sua terra natal e aposentou-se no Rio de Janeiro como Auditor Fiscal da Receita.

terça-feira, 3 de maio de 2011

VALE RELEMBRAR - Seu Balbino

Maceió (Al), 03 de maio de 2011. A partir de hoje, vamos iniciar uma série de matérias relembrando pessoas que fizeram história em Mata Grande, quem gostar, comente, envie biografias e fotos para contarmos as coisas boas do nosso querido rincão. Vou iniciar relembrando o meu pai, Balbino Alves Bezerra ou “Seu Balbino” , assim era conhecido, nasceu no Sítio Cafundó, em 08.l0.1907 zona rural do município de Mata Grande, filho de Lúcio Alves Bezerra e Adelaide Bandeira de Mello, iniciou sua carreira como agricultor, depois, deixou o sítio para viver na cidade como balconista na padaria do tio Teodoro Alves Bezerra (Doro Barros). Além das famílias acima,era também descendente das famílias, Costa e Vieira Sandes. Com o passar dos tempos, adquiriu algumas fazendas na zona rural e casas na zona urbana. Casou com Luiza Villar de Mendonça (minha mãe) onde constituiu uma família de sete filhos sendo quatro homens (Faustino Guilherme, Hildebrando e Germano) e três mulheres (Helena, Valderez e Valdecy). Tornou-se um grande comerciante e fazendeiro. Foi padrinho de inúmeras pessoas tendo um número incontáveis de afilhados, compadres e comadres ,afora muitos conhecidos e amigos, os mais variados possíveis. Em sua padaria todos tinham acesso, pois, sempre agradava aos clientes e principalmente as crianças que os acompanhavam, presenteando-as com uma bolacha, um pão doce, uma cocada ou mesmo um confeito. Algumas histórias versam sobre o seu comércio e um fato curioso era o sigilo. Quando os cangaceiros estavam acampados na região e o “coiteiro” vinha comprar muitos pães e bolachas, já se sabia o destino, porém, ninguém da cidade tomava conhecimento da venda. Em contra partida quando as cargas de farinha destinadas a sua padaria, que iam de Piranhas para Mata Grande, através de almocreves, isto é, transportadas em lombo de animais e, quando cruzavam com os cangaceiros, não eram molestados, o que não acontecia com os produtos destinados a determinados comerciantes. Durante a segunda grande guerra mundial, era representante exclusivo do querosene Jacaré e na distribuição, havia a recomendação para que não acendessem lamparinas, candeeiros ou quaisquer tipos de luminárias fora de casa, para não despertar a atenção de algum avião que porventura passasse sobre a região, pois isso, colocaria em perigo a vida de todos. Houve dias de racionamento na distribuição. Era comerciante também no Inhapi e tinha a satisfação de funcionar como correio para o povo, tanto, levando e trazendo cartas e também, envelopes com o dinheiro que os parentes enviavam de São Paulo através do “vale postal” único meio utilizado naquela época, já que vinham aos seus cuidados. Sempre pautou sua vida com trabalho, honestidade e muita amizade. Em Palmeira dos Índios, Caruaru, Recife, Campina Grande, onde existissem os seus fornecedores, tinha crédito e com uma simples carta ou relação de pedido, recebia a mercadoria e na época aprazada, cumpria as suas obrigações. Era muito católico e teve dois primos padres: Monsenhor Aloysio Vianna Martins e Monsenhor Sebastião Alves Bezerra, que no porvir, seram relembrados. Faleceu em 21 de março 1981 na cidade de Mata Grande onde foi sepultado.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

DICAS DE SAÚDE - Coca Cola X Limão

Maceió (Al), 02 de maio de 2011. MISTURAR COCA-COLA COM LIMÃO. . . NÃO FAÇA MAIS ISSO! Esta informação tem procedência confirmada pelo Dr. Rui Campanella, doDepartamento de Pesquisas Biológicas da UNICAMP, fica o alerta e osconselhos a serem seguidos. A todos os consumidores de Coca Cola. Muito cuidado! Não misture essas bebidas com limão. Foi comprovado cientificamente que a mistura do acido cítrico do limão com alguns componentes da Coca-Cola, forma um composto químico que "rouba" o cálcio de nosso corpo, fazendo com que ele seja eliminado pela urina. Isso pode atrapalhar o desenvolvimento físico e mental das crianças e trazer sérios riscos de osteoporose às pessoas. Por isso NÃO MISTURE COCA, PEPSI E OUTROS REFRIGERANTES DE COLA COM LIMÃO. Passe essa mensagem para todos os seus amigos. Quanto mais informação, mais saúde à população. Faculdade de Engenharia de Alimentos Unicamp Controle de Qualidade - ESFER Fone: (XX19) 3466-7094 Ramal:29

MATA GRANDE - Um ano sem Geno

Maceió (Al), 02 de maio de 2011. UM ANO SEM GENO Hoje o meu cunhado José Iteógenes Brandão Barbosa (Geno) como era conhecido deveria estar comemorando seus quarenta e três anos, todavia, dois assassinos , o fizeram partir para o andar superior, juntamente com o irmão Otaniel Barbosa. Desde o seu nascimento o acompanhei, residia na fazenda Cumbe onde o meu sogro Otacílio Barbosa da Silva possuía uma vacaria e lá, certo dia, Geno chegou perto do local onde existia uma lata com querosene e com sede, bebeu um copo do líquido pensando que era água. Daí então, ficou raquítico e depois engordou passando ter uma invejável saúde. Tempos depois casou com Maria Aparecida (CIDA), minha estimada comadre e foi pai de duas filhas maravilhosas, uma das quais é a minha afilhada, passamos também, a ser compadres. Sempre teve vida própria, brincalhão, boêmio, porém, incapaz de fazer quaisquer tipos de males a um ser vivente. Pela tradição da família, ainda muito jovem , foi descoberto que era portador da diabetes do tipo 1 , o que lhe tirou alguns quilos. Pela boêmia não encarava a doença e não a respeitava, bebia muito e comia todo e qualquer tipo de carne que lhe era servido. Tinha muitos amigos um dos quais (DANDA) foi quem me deu a trágica notícia, custei a acreditar. GENO era muito querido por todos. Com o agravamento da diabetes passou a fazer hemodiálise em Maceió , mais o destino o levou no fatídico 25.04.2010 e ao passar pela cidade do Inhapi, procurou o seu irmão onde, juntos , receberam uma saraivada de tiros a queima roupa. O interessante é que o Estado que tem a obrigação de dar segurança aos cidadãos e também, apurar e punir os delitos, principalmente, os de Ação Pública Incondicionada, não cumpre a contento, o seu dever e a violência faz com que o Estado de Alagoas, esteja sendo citado hoje como o mais violento do País.

domingo, 1 de maio de 2011

AS ASSOMBRAÇÕES DE MATA GRANDE - Constantina

Constantina,era uma morena bonita, empregada na residência de um rico comerciante de Mata Grande, porém, gostava de receber visitas após as 21 horas sem que os patrões soubessem, já que o seu quarto de dormir ficava no fundo do quintal. Os visitante, normalmente estudantes, no entanto,tinham que, transitar pelo cemitério velho, o que já era motivos para arrepios além de ter que descer até um sítio de muitas mangueiras, pular um muro, para então namorar com a linda morena. Porém, nem tudo que reluz é ouro e nem toda morena é igual, eis que um dia, certo aluno do Ginásio Félix Moreno, não a encontrando e para não perder a viagem resolveu ir para outro quintal, procurando avistar uma jumenta criada por um influente sapateiro, que trabalhava até altas horas a fim de atender a sua seleta clientela. O sapateiro, muito esperto, há muito tempo desconfiado, colocava vez por outra , uma cabeça de defunto (caveira) com uma vela acesa dentro de um vidro branco e bem próximo. Ao abrir o portão, que interligava o quintal com o caminho que passava por trás das casas, o estudante deu de cara com a caveira em cima de uma estaca e aí, imaginem a carreira que o coitado deu em direção ao centro da cidade. Daí em diante, ninguém mais quis encontrar a bela Constantina, porque o local passou a ficar mal assombrado.

DIA DO TRABALHADOR - Homenagem de uma matagrandense

Minha homenagem ao trabalhador TRABALHADOR: A palavra trabalho confunde-se com "humano" tanto é que, segundo a Bíblia os seus dois primeiros filhos tinham tudo que desejassem a um simples toque de mão, era tão fácil, tão de graça que gerou a desobediência e a expulsão da "delicia" de não fazer nada. Ainda hoje não trabalhar se faz presente e vai deixando um rastro de desolação, libertinagem, violência, desrespeito e a desvalorização do ser humano. O trabalho dignifica, proteje, exalta, orgulha e satisfaz. Esta geração necessita resgatar a dignidade de viver, sentir no rosto o suor do dever cumprido, valorizar a família e exaltar a Nação, a qual, por falta de oportunidades oferecidas a seus filhos esta se desestruturando, somando mortes inocentes, violencia desmedida, multiplicando a falsa idéia de que ganhar sem trabalho é uma glória, resultado: estamos levando o País é ser um universo de velhos, pois a chamada "Esperança do Futuro" esta sendo dizimada pela falta do que acha-se difícil - lutar pela vida. Seja digno. Pense, crie, faça! OBS. Texto enviado pela matagrandense Maria Inês Praxedes, através do Orkut em 01.05.11.

AS ASSOMBRAÇÕES DE MATA GRANDE - A Volta do Bancário

– A volta do bancário. Nos idos de 1966, foi assassinado brutalmente um bancário de cor morena, gordo e de estatura mediana, cuja residência ficava em frente a Câmara Municipal. Anos depois, outro bancário foi residir na dita casa. Certo dia de sábado vieram alguns dos seus parentes a fim de passar o final de semana em Mata Grande. Entusiasmado, o bancário convidou alguns colegas para almoçarem juntos em sua residência e recepcionarem os visitantes. Após as rodadas de cerveja e pinga o almoço foi servido, após o qual, os colegas convidados foram embora. O parente do dono da casa, que era visitante, curioso perguntou: - porque aquele rapaz moreno, gordo e de estatura mediana que entrou com os demais, nada conversou, não quis beber, não almoçou e tão logo os outros se retiraram ele os acompanhou. O dono da casa então disse que não existia a pessoa por ele descrita. O interessante é que, depois do ocorrido, ninguém conseguiu dormir tranquilamente durante a noite, e no outro dia retornaram para Arapiraca, os familiares do bancário residente passaram a viver temerosos. Posteriormente o chefe da família, procurou saber como era o funcionário que tinha sido assassinado brutalmente e como as características eram iguais, teve que mudar de residência para poder dar tranqüilidade aos seus familiares.

DICAS DE SAÚDE - Beba água em jejum

BEBA Água com estômago vazio. Hoje é muito popular no Japão beber água imediatamente após levantar, na parte da manhã. Além disso, a evidência científica tem demonstrado estes valores. Para idosos com doenças graves e doenças em tratamento médico, a água tem sido muito bem sucedida. Para a sociedade médica japonesa, uma cura de até 100% para as seguintes doenças: Dores de cabeça, corpo ferido, problemas cardíacos, artrite, taquicardia, epilepsia, excesso de gordura, bronquite, asma, tuberculose, meningite, aparelho urinário e doenças renais, vómitos, gastrite, diarréia, diabetes, hemorróidas, todas as doenças oculares, câncer e distúrbios menstruais, doenças de ouvido, nariz e garganta. Método de tratamento: 1. Na parte da manhã e antes de escovar os dentes, beber 4 x 160ml copos de água. 2. Lavar e limpar a boca, mas não comer ou beber nada durante 45 minutos. 3. Após 45 minutos, você pode comer e beber normalmente. 4. Após os 15 minutos do lanche, almoço e jantar não se deve comer ou beber nada durante 2 horas. 5. Pessoas idosas ou doentes que não podem beber 4 copos de água, no início podem começar por tomar um copo de água e aumentar gradualmente a quantidade para 4 copos por dia. 6. O método de tratamento cura doenças e outros podem desfrutar de uma vida mais saudável. A lista que se segue apresenta o número de dias que requer tratamento para curar / controle / reduzir as principais doenças: 1. Pressão Alta - 30 dias 2. Gastrite - 10 dias 3. Diabetes - 30 dias 4. Câncer - 180 dias 5. Os doentes com artrite devem continuar o tratamento para apenas 3 dias na primeira semana e, desde a segunda semana, diariamente. Este método de tratamento não tem efeitos secundários. No entanto, no início do tratamento terá de urinar frequentemente. É melhor continuarmos com o tratamento, porque este procedimento funciona como uma rotina de nossas vidas. Beber água é saudável e dá energia. Para quem gosta de beber água fria, esta seção aplica-se a eles. Isto faz sentido: o chinês e o japonês bebem líquido quente com as refeições, e não água fria. Talvez tenha chegado o momento de mudar seus hábitos de água potável para água quente, enquanto se come. Nada a perder, tudo a ganhar ! É bom beber um copo de água fria ou uma bebida fria após a refeição, porém, a água fria ou bebida fria solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer. Isso retarda a digestão. Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida mais rapidamente do que o alimento sólido para o trato gastrointestinal. Isto danificada o intestino. Muito em breve, isso vai se transformar em gordura e pode nos levar ao câncer. É melhor tomar uma sopa quente ou água quente após cada refeição. Nota muito grave - perigoso para o coração: As mulheres devem saber que nem todos os sintomas de ataques cardíacos vão ser uma dor no braço esquerdo. Esteja atento para uma intensa dor na linha da mandíbula. Você pode nunca ter primeiro uma dor no peito durante um ataque cardíaco. Náuseas e sudorese intensa são sintomas muito comuns. 60% das pessoas têm ataques cardíacos enquanto dormem e não conseguem despertar. Uma dor no maxilar pode despertar de um sono profundo. Sejamos cuidadosos e estejamos sempre vigilantes. Quanto mais se sabe, maior chance de sobrevivência ... Um cardiologista diz que se todos que lerem esta mensagem, comentarem com pelo menos dez pessoas que conhece, podem ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida. ** Ser um verdadeiro amigo é recomendar este artigo para todos os seus amigos e conhecidos. Acabei de fazer isso! **