terça-feira, 12 de abril de 2011

CADEIA PÚBLICA DE MATA GRANDE-O que já foi escrito

A cadeia quando funcionava e hoje, completamente abandonada. Maceió (Al), 12 de abril de 2011. Remonta de longos anos a história da Cadeia Pública de Mata Grande. O escritor Djalma Mendonça em seu livro MONOGRAFIA DO MUNICÍPIO DE MATA GRANDE, página 23 escreveu: ... "Em 18 de março de 1837 , por resolução provincial n. 18,de 18 de março do mesmo ano, foi a povoação de Mata Grande elevada à categoria de vila e freguesia, com a condição de seus habitantes construirem a casa da Câmara e uma cadeia pública, exigência revogada em 1838, pela lei n. 3 de 22 de janeiro, em virtude de ter a lei orçamentária da província destinado certa quantia à construção dos aludidos edifícios". Entretanto, só em 1875, foi iniciada a construção de um grande prédio, em pedra e cal, com paredes de um metro de espessura, que custou, naqueles bons tempos, a importânciade 18.700$000 e em cujo andar superior, dotado de grandes salões, funcionou, até poucos anos, a sua câmara Municipal, o Tribunal do Júri e onde a sociedade local se reuni em comemorações cívicas, bailes e conferências. Alí, foi ainda a sède de importante sociedade dramática que dotou uma de suas salas de belo palco, com pano de bôca, em que se via, em tamanho natural, a efígie do Barão do Rio Branco. Êsse prédio, recentemente melhorado, foi constuído na parte mais alta da cidade, em magnífico local e sob a orientação e administração do Coronel Pedro Vieira Júnior, prestigioso chefe político liberal daquele tempo , que, em 1859, recebia do pôrto de Piranhas, Sua Majestade D. Pedro II e sua comitiva levando-lhe o célebre cavalo "Cacheado" para que nêle viajasse o Imperador até a Cachoeira de Paulo Afonso". Contam os antigos que os trabalhos braçais foram realizados por escravos e que nos pisos das celas foram colocados muitos sacos de sal, daí serem tão frias. O que sei é que os habitantes de região que por motivos outros cometiam delitos penais, cumpriam suas penas, recebendo a comida diária do próprio lar, o aconchego da família e dos amigos e ao término, voltavam para as suas residências , trabalhando normalmente e convivendo totalmente reintegrado a sociedade local. Atualmente , são enviados para as cadeias públicas de Delmiro Gouveia ou mesmo o Instituto Penal São Leonardo de onde voltam, normalmente, embrutecidos. Ultimamente, a sociedade matagrandense tem visto o desmoronamento gradativo de tão belo prédio que sem sombra de dúvidas é um dos cartões postais da cidade. Alguns escritos já foram divulgados, tanto por este blog como também pelas comunidades do orkut "AMO MATA GRANDE E MATAGRANDENSES & AMIGOS". Visitamos recentemente a cidade de Porto de Pedras e lá a situação do prédio é igual e pediram providências. Por esta razão, estamos reeditando tudo, na esperança de que as autoridades constituídas passem a dar atenção ao assunto que interessa a toda a população. CADEIA PÚBLICA DE MATA GRANDE-O que já foi escrito por alguns matagrandense. Orkut – Comunidade Amo Mata Grande. Márcia: S.O.S CADEIA E FOMENTO PARABÉNS GERMANO PELA BRILHANTE INICIATIVA.AS COISAS SÓ COMEÇAM A MUDAR QUANDO REIVINDICAMOS NOSSOS DIREITOS.APROVEITO ESSE ESPAÇO CRIADO POR VOCÊ, PARA SOLICITAR À CÂMARA DE VEREADORES DE MATA GRANDE,PROJETOS PARA TRANSFORMAR O PRÉDIO DA CADEIA E O DO FOMENTO EM BIBLIOTECA PÚBLICA, E CENTRO CULTURAL.VAMOS TENTAR SALVAR O QUE AINDA RESTA DA NOSSA HISTÓRIA. Silvania: Márcia, o meu professor de fotografia ficou indignado qdo viu a foto da cadeia e do fomento, disse até que vai procurar uma amiga do IPHAN, para ver se podia fazer alguma coisa.Outra coisa também que deveria fazer alguma coisa são aqueles casarões como o de sé e seu odilon e outros. Germano: CADEIA PÚBLICA A cadeia Pública de Mata Grande está em completo abandono. Cadeias como ela, a de Piranhas, Santana do Ipanema e tantas outras que serviam para recuperar o cidadão da região que transgridia a lei e era punido. Naquele tempo o cidadão cumpria a pena imposta pela justiça, recebendo a visita dos amigos e familiares e na liberdade, se reincorporava à sociedade , em suas atividades normais. Hoje , quando são enviados para a Capital, não conseguem mais serem normais, ficam embrutecidos e revoltados. É necessário que o Estado recupere as cadeias interioranas para que os cidadãos daquelas plagas cumpram lá os seus delitos.Mas a quem pedir? Os representantes políticos atuais estam insensíveis ao que se passa ao seu redor. Quem tiver uma idéia, registre, peça, se não derem atenção, insista persista e não desista. É ISSO AÍ AMIGO. Vamos continuar registrando as nossas inquietudes. Apesar deste meio de comunicação não ser do conhecimento geral da população, acredito que vai chamar a atenção de alguém que tenha preocupações e se sinta responsável pelo descaso que se vem dando a causa pública. Na nossa terra não é costume se reclamar. Tudo se aceita pacificamente. Mas um dia alguma coisa haverá de mudar. Este já é um bom começo. Nós que somos os prejudicados deveremos cobrar dos governantes os compromissos que eles assumem quando querem se eleger. Cobrar, reivindicar não vai ofendê-los. Servirá apenas de alerta para que saibam onde estão ficando omissos. Vamos em frente... Márcia Em 18 de março de 1837, por resolução provincial nº 18, foi Mata Grande elevada a categoria de vila e freguesia, com a condição de seus habitantes construírem a Casa da Câmara e uma cadeia pública, exigência revogada em 1838, pela Lei nº 3 de 22 de janeiro, em virtude de ter a Lei orçamentária da Província destinada certa quantia à construção dos aludidos edifícios. Perdeu as prerrogativas de vila, pela Lei nº 43, de 04 de maio de 1846, sendo incorporado a Traipu. Seis anos depois, por meio da Lei 197 de 28 de julho de 1852, adquiriu novamente. Tomou o nome de Paulo Afonso pela Lei nº 516, de 30 de abril de 1870, sancionada pelo presidente José Bento da Cunha Figueiredo, quando território abrangia a famosa Cachoeira de Paulo Afonso. Márcia: DAVID: MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A CADEIA domingo, 21 de novembro de 2010 Prédio da Cadeia Pública de Mata Grande é tombado pelo Estado O prédio da antiga Cadeia Pública de Mata Grande, construída em pedra por escravos há 135 anos foi tombado pelo Estado. O prédio se destaca pela imponência e estilo colonial na parte alta da cidade de Mata Grande. Segundo historiadores foi construído por escravos que transportaram pedras do vale do Moxotó. Atualmente o importante prédio histórico se encontra em estado de abandono deplorável. Na rua de Cima o prédio em seu estilo antigo era um verdadeiro cartão postal. Segundo historiadores, a idéia da sua construção se deu por volta de 1837 para atender "a uma condição provincial para que a cidade fosse elevada a categoria de Vila e Freguesia e quem deveriam construí-la seriam os seus habitantes, cuja exigência foi revogada em 1838, entretanto. Em 1875, foi iniciada a construção de um grande prédio, em pedra e cal, com paredes de um metro de espessura, que custou naquela época, a importância de 18.700$000 e em cujo andar superior, dotado de grandes salões. No local funcionou em décadas passadas a Câmara Municipal, o Tribunal do Júri e onde a sociedade local se reunia em comemorações cívicas, bailes e conferências" (Djalma Mendonça). No primeiro andar, foram realizados grandes eventos da sociedade matagrandense e era também utilizada, para o cumprimento de penas dos privilegiados pela Lei, aqueles que não iam para as celas, eram o que se chamava de prisão especial. Existiam ainda alojamentos para os delegados e policiais não residentes. Na parte de baixo eram as celas e funcionava a Delegacia Municipal de Policia. na cela da frente ficavam os criminosos, lá atrás,os presos correcionais, aqueles tomadores de cachaça que se excediam e os baderneiros; na área do meio , ficavam os que desobedeciam as ordens internas, era o que chamavam de "solitária", muito escura pelo dia, deixando o detento apavorado pelo castigo imposto. Postado por Roberto Gonçalves às 11/21/2010 09:10:00 NOTÍCIAS VEÍCULADAS NA COMUNIDADE “MATAGRANDENSES & AMIGOS” TAMBÉM DO ORKUT. Germano: CADEIA PÚBLICA DE MATA GRANDE A informação é que uma verba no valor de R$ 900.000,00 está sendo destinada a recuperação da cadeia pública de Mata Grande. Qual a origem? Qual a Secretaria Estadual ou Ministério será responsável pela aplicaçao do dinheiro? É preciso que estejamos atentos quando da liberação para que a população acompanhe a sua aplicação. A internet hoje está causando "arrepios"nos gestores do dinheiro público e nós, teremos que aproveitar o momento, mesmo virtual, para divulgarmos o que é certo e passarmos a noticiar os verdadeiros anseios da população. No caso da cadeia pública o S.O.S tem sido dado em várias comunidades. A verba é significativa, desperta interesses, inclusive os exclusos. Sabemos que a ética não foi bem assimilada pelos que exercem cargos de relevância, razão porque chamamos a atenção de todos que amam verdadeiramente a nossa Mata Grande. Fiquem atentos e se souberem de quaisquer liberações divulguem. Márcia: AGORA VAI... 05/11/2010 09:44 Conselho aprova processos de tombamento em Mata Grande e Água Branca Jacob Brandão não mediu esforços para que acontecesse o tombamento por Secom/ Ascom Mata Grande Wadson Correia: Conselho aprova processos de tombamento em Mata Grande e Água Branca A Cadeia Pública, em Mata Grande, as Igrejas de Nossa Senhora do Rosário e da Conceição, e a Casa da Baronesa, em Água Branca, foram os prédios encaminhados para tombamento. O prefeito de Mata Grande, Jacob Brandão, enviou toda documentação necessária para iniciar a restauração. O Conselho Estadual de Cultura aprovou, em sessão ordinária, no Palácio Floriano Peixoto, o processo de Tombamento de sítios históricos nos municípios de Mata Grande e Água Branca, após discussão e análise dos estudos e relatório técnico do Pró-Memória da Secretaria de Estado da Cultura. Os processo de tombamento se referem ao prédio da antiga Cadeia Pública, em Mata Grande; as igrejas de Nossa Senhora do Rosário e da Conceição, e a Casa da Baronesa, em Água Branca. Aprovados pelo conselho, os processo seguem para emissão de parecer a elaboração da minuta do decreto-lei para a sanção do governador Teotonio Vilela Filho. Vilela prometeu o tombamento da cadeia pública, quando esteve no município. “Esta decisão do Conselho foi um marco com relação ao patrimônio histórico de Alagoas”, disse o conselheiro e antropólogo, Sávio de Almeida. Para o professor e historiador Douglas Apratto, também conselheiro, “a aprovação do processo de tombamento é extremamente positivo diante de uma cultura se destruição”. Notícias já veiculadas neste blog: Postado por Germano: Brasília-DF., 05 de fevereiro de 2010. Duas fotos em épocas diferentes da Cadeia Pública de Mata Grande. Houve períodos em que era um primor de prédio, hoje se encontra em estado de abandono deplorável. Na rua de Cima a Cadeia era um verdadeiro cartão postal . A idéia da sua construção se deu por volta de 1837 para atender "a uma condição provincial para que a cidade fosse elevada a categoria de vila e freguesia e quem deveria construí-la seriam os seus habitantes, cuja exigência foi revogada em 1838, entretanto, só em 1875, foi iniciada a construção de um grande prédio, em pedra e cal, com paredes de um metro de espessura, que custou, naqueles bons tempos, a importância de 18.700$000 e em cujo andar superior, dotado de grandes salões, funcionou, até poucos anos, a sua Câmara Muncipal, o Tribunal do Juri e onde a sociedade local se reunia em comemorações cívicas, bailes e conferências"(Djalma Mendonça). Lá no primeiro andar, foram realizados grandes eventos da sociedade matagrandense e era também utilizada, para o cumprimento de penas dos privilegiados pela lei, isto é, aqueles que não iam para as celas, era o que se chamava de prisão especial. Existiam ainda alojamentos para os delegados e policiais não residentes. Na parte de baixo eram as celas e funcionava a delegacia municipal. Lembro que na cela da frente ficavam os criminosos, lá atrás, os presos em correção, aqueles tomadores de cachaça que se excediam e os baderneiros; na área do meio , ficavam os que desobedeciam as ordens internas, era o que chamavam de "solitária", muito escura pelo dia, deixando o detento apavorado pelo castigo imposto. Muita coisa já se comentou sobre a cadeia pública, neste blog fizemos alusão no dia 26/10/2008 e na comunidade "AMO MATA GRANDE" e "MATAGRANDENSES & AMIGOS" os comentários abaixo: CADEIA PÚBLICA DE MATA GRANDE: A informação é que uma verba no valor de R$ 900.000,00 está sendo destinada a recuperação da cadeia pública de Mata Grande. Qual a origem? Qual a Secretaria Estadual ou Ministério será responsável pela aplicaçao do dinheiro? É preciso que estejamos atentos quando da liberação para que a população acompanhe a sua aplicação. A internet hoje está causando "arrepios"nos gestores do dinheiro público e nós, teremos que aproveitar o momento, mesmo virtual, para divulgarmos o que é certo e passarmos a noticiar os verdadeiros anseios da população. No caso da cadeia pública o S.O.S tem sido dado em várias comunidades. A verba é significativa, desperta interesses, inclusive os exclusos. Sabemos que a ética não foi bem assimilada pelos que exercem cargos de relevância, razão porque chamamos a atenção de todos que amam verdadeiramente a nossa Mata Grande. Fiquem atentos e se souberem de quaisquer liberações divulguem. OBS.: Notícia divulga por Germano em 17.07.09 na comunidade MATAGRANDENSES & AMIGOS. CADEIA PÚBLICA: A cadeia Pública de Mata Grande está em completo abandono. Cadeias como ela, a de Piranhas, Santana do Ipanema e tantas outras que serviam para recuperar o cidadão da região que transgridia a lei e era punido. Naquele tempo o cidadão cumpria a pena imposta pela justiça, recebendo a visita dos amigos e familiares e na liberdade, se reincorporava à sociedade , em suas atividades normais. Hoje , quando são enviados para a Capital, não conseguem mais serem normais, ficam embrutecidos e revoltados. É necessário que o Estado recupere as cadeias interioranas para que os cidadãos daquelas plagas cumpram lá os seus delitos.Mas a quem pedir? Os representantes políticos atuais estam insensíveis ao que se passa ao seu redor. Quem tiver uma idéia, registre, peça, se não derem atenção, insista persista e não desista. OBS.: Divulgada por Germano em 11.12.2006 na comunidade AMO MATA GRANDE. S.O.S CADEIA E FOMENTO: PARABÉNS GERMANO PELA BRILHANTE INICIATIVA.AS COISAS SÓ COMEÇAM A MUDAR QUANDO REIVINDICAMOS NOSSOS DIREITOS.APROVEITO ESSE ESPAÇO CRIADO POR VOCÊ, PARA SOLICITAR À CÂMARA DE VEREADORES DE MATA GRANDE, PROJETOS PARA TRANSFORMAR O PRÉDIO DA CADEIA E O DO FOMENTO EM BIBLIOTECA PÚBLICA, E CENTRO CULTURAL.VAMOS TENTAR SALVAR O QUE AINDA RESTA DA NOSSA HISTÓRIA! OBS.: Escrito pela conterrânea Márcia, na comunidade Amo Mata Grande, em 18.11.2006. Como pode se verificar a preocupação da comunidade é muito grande. Lamentamos que os nossos governantes ainda não tenham assimilado que não são os donos do patrimônio público e sim, gerenciadores desses bens, e a eles cabem, solicitar a liberação das verbas e executar as obras, com ética e seriedade, porém, o problema se arrasta há décadas, mudando até de séculos sem que as providências cabíveis sejam tomadas. Torna-se mister, portanto, que os nossos vereadores, junto ao prefeito municipal, busquem as soluções para o caso , cobrando do governo estadual ações condizentes para a recuperação daquele prédio e dando um destino apropriado para o engrandecimento cultural da cidade. Postado por GERMANO MENDONÇA ALVES às 16:34 Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Google Buzz 8 comentários: Etevaldo disse... Parabéns pelo artigo, Germano! Continue fazendo desse espaço uma tribuna em defesa dos interesses culturais dessa terra. 10/2/10 5:36 PM Anônimo disse... Mata Grande precisa urgentemnte que seus filhos tenham amor pela terra que os viu nascer, crescer e seguir para outras plagas, é muito gratificante encontrar um e outros conterrâneos que olham para sua cidade com dedicação e fidelidade. As construções de Mata Grande guardam em si uma riqueza que não pode ser simplesmente derrubadas e pronto. Li uma sugestão muito valiosa de transformar a cadeia e outro predio em boblioteca pública, excelente, como também poderia seu um museu, uma galeria para resgatar tanta riqueza envolvendo: pessoas e suas histórias, filhos ilustres... Para que votamos? Temos o direito de exigir de nossos representantes, no caso de nossa cidade a sua restauração como uma cidade digna, tanto quanto seus filhos são dignos e lutam por sua identidade no cenário brasileiro. Germano, meus parabéns por esta bandeira sempre hasteada em prol do que é nosso. Meu VOTO é sincero. Inês 10/2/10 8:10 PM olivia disse... em jan de 1978 atuei no projeto Rondon na cidade de Mata Grande AL.Entre as edificações históricas existentes nesta cidade, a cadeia pública foi o edifío que mais chamou a atenção e despertou a curiosidade pela história da cidade e sertão alagoano ,por nós universitários de Santa Catarina. Em visita a referida cadeia conversei na época com uma mulher que cumpria pena na mesma.A edificação por si só já era um monumento histórico ,com suas paredes intransponíveis e suas grades de ferro muito grossas . Vai aqui o apelo de uma brasileira, as autoridades: dediquem um pouco mais de atenção ao patrimaõnio público,nossa história está ruindo !Boa Sorte a esta cidade que eu aprendi a amar Olivia -Lages -SC 29/3/10 1:19 PM lucas disse... saite legal fala tudo sobre minha cidade 7/4/10 12:00 PM Anônimo disse... QUEM CONSTRUIU A CADEIA PUBLICA DE MATA GRANDE,SOMENTE COM SEUS RECURSOS PESSOAIS,FOI O SR.PEDRO VIEIRA,UM DOS MAIS RICOS DE MATA GRANDE,NA SUA ÉPOCA.NÃO DEIXOU DESCENDENCIA POIS MORREU SOLTEIRO. 28/4/10 11:17 PM Jorginho disse... Caro Germano, é muito prazeroso saber que existem pessoas como vc que ainda tem esperanças de um dia ainda ver a nossa cidade tão linda como era antes, estamos juntos nessa luta, e vamos cobrar sim a reforma é um dever deles e um direito nosso ter a cadeia de volta, ou simplesmente transformar em uma biblioteca ou mesmo um museu. abraço 16/5/10 10:11 AM CICERO disse... EU TENHO CERTEZA QUE UM DIA A CADEIA VAI SER REFORMADA, PORQUE JACOB BRANDÃO E MODERNO E TEM FORCA DE VONTADE DE TRABALHAR 6/12/10 10:58 AM Elias Canuto Brandão disse... Sai da Mata Grande aos 05 anos de idade (em 1965) e retornarei pela 1ª vez no dia 20 deste mês. Quero conhecer o sítio onde nasci (sítio Gato) e visitar minha tia Josefina Canuto. Parabéns pelo blog e as notícias de Mata Grande. 11/1/11 10:42 AM Postar um comentário.

2 comentários:

  1. Parabens Gemano pela máteria. ta show de bola. abraço. vizite o forum MATA GRANDE EM DESTAQUE
    E FAÇA SEU CADASTRO. http://matagrande.forumeiros.com

    ResponderExcluir
  2. Da Coleção de Pedro Paulino da Fonseca - IHGAL

    trecho do documento:

    Informações da Camara Municipal da Villa da Mata Grande em 23.11.1854
    Pro Presidente: Gonçalo Martins Lisboa
    Presidente: Antonio Coelho de Sá e Albuquerque''

    Às 6 horas da tarde ancorava o vapor na povoação de Entre-Montes, 5 léguas acima da villa Bde Pãco de lAssucar e 20 de Penedo. Ali pernoitou S. Exc. em casa do Sr. Firmino Martins Lisboa.''
    13.07.1869.

    Viagem ao Rio São Francisco, pág 115
    Visita do Exm. Snr. Dr. José Bento da Cunha Figueiredo Junior, Presidente da Província, às comarcas de Penedo e Matta-Grande, de 11 a 28 de julho de 1869.

    Viagem de José Bento da Cunha Figueiredo Junior à província de Alagoas - IHGAL


    .................................................................................................................................................


    Viagem de José Bento da Cunha Figueiredo Junior à província de Alagoas - IHGAL

    Matta Grande 22 e 23 de julho de 1869

    "... Os Srs. José Bernardino Guimarães, presidente da Comarca; delegado e juiz municipal suplente Gonçalo Martins Lisboa, sub´delegao Zeferino Vieira de Machado, estiveram sempre com S. Ex. e acompanharam-no na volta até a fazenda da Craunan.''



    e outros assignados

    Cássia

    ResponderExcluir